Esportes

Após sequência de derrotas, Danilo Rios é dispensado do Nacional

Leão da Vila dispensou sete jogadores – foto: Márcio Melo

Leão da Vila dispensou sete jogadores – foto: Márcio Melo

No dia 19 de maio, a torcida foi até a sede e fez festa para recebê-lo. Assim, os fãs do Nacional deram as boas-vindas ao meia Danilo Rios, que chegou com status de ídolo e grande contratação da temporada.

O jogador, que teve boa passagem pela equipe em 2013, voltou ao Leão da Vila para ser o principal nome do time que sonhava, à época, com o acesso à Série C do Campeonato Brasileiro. Quatro meses depois, os anseios tanto do atleta quanto da diretoria não foram alcançados, e o jogador – um dos piores na pífia eliminação da equipe ainda na fase grupos da competição- foi dispensado ontem (2).

O meio-campista puxa a fila da “barca” anunciada pela diretoria que conta ainda com: Gilson (zagueiro), Romarinho (atacante), Thiago Floriano (meia), Lusmar (volante), Thiago Marin (meia) e Rafael Vieira (lateral-esquerdo). A lista ainda pode aumentar, já que os centroavantes Júnior Paraíba e Nando também podem sair.

Danilo esteve na tarde de ontem no CT Barbosa Filho para acertar sua rescisão com a diretoria. O atleta contou que ainda não chegou a um acordo, já que tem contrato até o dia 15 de novembro, mas que não deve mais atuar pela equipe.

“O clube quer cortar custos, já que não tem mais chances de se classificar, e me chamou para acertar a rescisão. Eu achei a decisão normal porque realmente deixamos a desejar dentro de campo e sabíamos que isso poderia acontecer. O clube tem direito de fazer isso”, afirmou, lembrando que o carinho que sente pelo clube permanecerá.

“Eu acho que a má campanha afeta em partes minha identificação com a torcida, mas os guardo no coração. O que vivi aqui em 2013 foi incrível e nunca vou me esquecer”, concluiu.

A eliminação
Com uma das maiores folhas salariais da Série D (cerca de R$ 300 mil de acordo com informações de pessoas ligadas a diretoria), o Leão da Vila Municipal não soube traduzir o incentivo financeiro em bom futebol.

O Naça estreou com empate em 1 a 1 fora de casa contra o Náutico-RR, time que havia formado o time a menos de uma semana antes do início do campeonato. Na segunda rodada venceu o Vilhena por 2 a 0 na Arena, mas não fez bom jogo. A partir de então, se iniciou o calvário do azulino. Perdeu do Rio Branco no Acre, do Remo em casa e no Pará e voltou a ser derrotado pelo time acreano na Arena da Amazônia.

Com os resultados, o atual bicampeão amazonense ocupa a lanterna do Grupo A1 com apenas quatro pontos em seis jogos. Conseguiu somar menos pontos do que o Náutico-RR, que foi punido com a perda de quatro pontos na competição.

Colina vetada
Após eliminação precoce na Série D do Campeonato Brasileiro, o Nacional tentou levar o jogo contra Náutico-RR, no dia 13, para o estádio Ismael Benigno (Colina), mas a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vetou a mudança. Assim o duelo válido pela última rodada do Grupo A1 segue na Arena da Amazônia.

Por Thiago Botelho

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir