Dia a dia

Após quatro meses, polícia continua sem pistas de garimpeiros desaparecidos na Reversa de Uatumã

O grupo sumiu no dia 8 novembro do ano passado, quando entrou na Reserva Biológica do Uatumã - foto: divulgação

O grupo sumiu no dia 8 novembro do ano passado, quando entrou na Reserva Biológica do Uatumã – foto: divulgação

Não há pistas do grupo de nove pessoas que desapareceu na floresta amazônica há quatro meses. De acordo com informações do delegado Valdinei Silva, da 37ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Presidente Figueiredo (a 176 quilômetros de Manaus), nenhum vestígio dos oito homens e uma mulher foi encontrado.

O grupo sumiu no dia 8 novembro do ano passado, quando entrou na Reserva Biológica do Uatumã, em Presidente Figueiredo.

As buscas, que começaram em dezembro, tiveram, inicialmente, apoio de 30 homens entre policiais civis, militares, soldados e oficiais do Exército Brasileiro e uma equipe do Batalhão de Incêndio Florestal e Meio Ambiente do Corpo de Bombeiros, responsável pela atuação em área de selva. As buscas também contaram com ajuda de cães farejadores.

“Tivemos que dar uma parada devido ao difícil acesso à área de floresta, que fica na reserva indígena waimiri-atroari”, disse o delegado. As buscas também foram feitas com um helicóptero blackhawk do Exército.

A Polícia Federal assumiu as buscas, mas também não conseguiu localizar nenhum dos desaparecidos. O tenente Janderson Lopes, do Corpo de Bombeiros, informou que a região de floresta é de mata fechada, o que dificulta a visualização de pessoas, se a busca for feita de helicóptero. Por terra, a mata é praticamente impenetrável.

Buscas

O Corpo de Bombeiros foi acionado no dia 15 dezembro do ano passado para ajudar na localização do grupo. Um dia antes, os familiares já haviam se reunido e contratado uma equipe de mateiros para fazer as primeiras buscas. Entre os desaparecidos estão Luiz Ferreira dos Santos, 54; José Lenilton Moura Alves, 51 (financiador da viagem); Ivanildo Marquês dos Santos, 39; Lucas Marques dos Santos, 18; João Batista, 65; Cristiane, (esposa do Ivanildo); Juca e Antônio. Os parentes disseram que eles entraram na floresta para tentar localizar um garimpo.

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir