Esportes

Após grande atuação, Ganso quer enfrentar o Palmeiras

Não houve nenhuma conversa oficial ainda com o time tricolor - foto: divulgação

Ganso comprou o desafio. Em apenas 41 dias, ele já marcou quatro gols, sendo três nos últimos três jogos, feito inédito do camisa 10 no time tricolor. Em todo o ano de 2015, o meia fez só três gols – foto: divulgação

Quando o técnico Edgardo Bauza começou a treinar o São Paulo, ele sabia da qualidade do meia Paulo Henrique Ganso.

O jogador sempre é cobrado porque pode render mais, e essa era também a opinião do argentino à época.

“Ninguém que está aqui pode duvidar das condições que ele tem para chegar à seleção. Eu o desafiei a chegar à seleção outra vez. Tem de jogar no máximo para elevar seu nível atual, resolver situações que só ele pode fazer. Toda a equipe técnica está atrás dele para colocá-lo fisicamente bem, futebolisticamente bem e melhor da cabeça, que é uma questão onde mais teremos que trabalhar”, disse.

 

Em conversa com torcedores nas redes sociais há pouco mais de um mês, Ganso prometeu que chutaria mais após ver muitos pedidos. A promessa tem sido cumprida com maestria. Dos quatro tentos marcados, três foram em chutes, sendo dois deles de fora da área.

“Estou mais próximo da área e chutando a gol. Antes eu não chutava tanto como estou chutando agora”, admitiu o meio-campista.

A luta para voltar à seleção brasileira continua e, segundo Bauza, o Maestro tem de seguir fazendo gols para conseguir o objetivo. “Foi o que pedi a ele. Precisamos recuperar um jogador com o talento que ele tem. Quando se propõe, não tem limite.”

Sem ele em campo, o São Paulo costuma ficar com pouca criatividade e sem atitude no ataque. Por isso, ele não quer nem pensar em ser poupado domingo (13), quando o time enfrentará o Palmeiras, apesar do pouco tempo de recuperação após o jogo contra o River Plate.

“Vamos ver o que o Bauza vai fazer, quem vai estar legal. Eu vou estar, não sei os outros”, brincou.

Caneta e Chapéu

Não só de gols vive o camisa 10 do time tricolor. Em Buenos Aires, Ganso colocou o volante Domingo debaixo do braço em sequência que deixou torcedores enlouquecidos.

Teve belos domínios e demonstrações de muita habilidade em uma jogada que terminou com uma caneta, lance típico de um jogo de futsal. O adversário não aguentou e cometeu a falta.

Em outro lance, Ganso ainda aplicou um chapéu.

“Foi bom porque o torcedor gosta de lances bonitos e não é fácil fazer um lance desses numa partida pegada, de muita marcação”, afirmou.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir