Sem categoria

Após episódio com Juma, TCU deve investigar exibição de animais selvagens por unidades militares

Juma foi morta com um tiro de pistola, após o revezamento da Tocha Olímpica, no Cigs - foto: Marcio Melo

Juma foi morta com um tiro de pistola, após o revezamento da Tocha Olímpica, no Cigs – foto: Marcio Melo

Paralelo às investigações do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), em nível local, sobre a morte da onça-macho Juma, o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (MPTCU) determinou a investigação do uso de animais silvestres por unidades militares em eventos públicos, conforme uma representação assinada pelo subprocurador-geral do MPTCU Lucas Rocha Furtado, no último dia 23.

Ainda de acordo com o documento, até a conclusão dos trabalhos do Tribunal de Contas da União (TCU), este tipo de exibição estará proibido.

Ainda segundo o documento, a medida não contesta o “trabalho desenvolvido pelo Exército Brasileiro, que atua no regate e proteção de animais silvestres na região, mas o fato das unidades militares utilizarem esses animais- que deveriam estar em situação de permanente proteção -, em eventos públicos, numa exposição desnecessária e que geram situações de risco para a população e para os próprios animais, como o episódio envolvendo a onça Juma, que motivou a representação”.

A representação também chama a atenção para o fato de que, “as participações irregulares de animais selvagens de grande porte em aparições públicas, com expressiva quantidade de pessoas, detém inegável risco de dano ao erário. Em caso de acidentes em que eventualmente pessoas venham, a ser feridas ou mesmo mortas, certamente acarretará para a União o dever de indenizar as vítimas. Além disso, no episódio da onça Juma, o órgão amazonense de proteção ao meio ambiente, o Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas – IPAAM, notificou oficialmente o Exército Brasileiro sobre o episódio e sinalizou que pode multar o órgão militar federal por ter utilizado a onça em um evento público sem autorização”.

O relatório sobre a morte da onça Juma foi entregue pelo Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), na última quarta-feira (22), ao Ipaam. O animal foi morto horas após participar da cerimônia de passagem da Tocha Olímpica, pelas dependências do Cigs, na segunda-feira (20), na ocasião em que era transportado para a jaula, mas fugiu. Segundo o Ipaam, Juma não tinha autorização para participar do evento, apenas a onça Simba.

Por equipe EM TEMPO

1 Comment

1 Comment

  1. Luis Fernando Smidt

    27 de junho de 2016 at 08:43

    Era só que faltava. Com tanta merda para o TCU investigar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir