Política

Após encontro com Temer, Renan não diz se irá se abster em impeachment

Em meio à sessão que definirá se a presidente afastada, Dilma Rousseff, se tornará ré no processo do impeachment, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reuniu-se nesta terça-feira (9) com o presidente interino, Michel Temer.

Os dois tiveram uma breve conversa antes de cerimônia no Palácio do Planalto para assinatura de decreto que amplia programa de revitalização do rio São Francisco, iniciado há dez anos e que ainda não concluído.

No evento, Temer e Renan sentaram-se lado a lado. Após a cerimônia, perguntado se pretende votar ou se abster na sessão parlamentar, o peemedebista evitou responder.

“Na politica, nunca é recomendável predizer o que vai acontecer, deixe que os fatos levem a uma decisão”, disse.

O senador tem dito nos bastidores que irá se abster na votação desta terça-feira (9), mas tem sido pressionado pelo Planalto a participar da votação em uma tentativa de demonstração de força do governo interino.

Além de Calheiros, Temer convidou para a cerimônia promovida no mesmo dia da sessão do impeachment dois ex-aliados de Dilma Rousseff: os senadores Otto Alencar (PSD-BA) e Antônio Carlos Valadares (PSB-SE).

Em discurso, o presidente interino fez questão de elogiar ambos publicamente e ressaltar que eles foram responsáveis pela ideia de elaboração do decreto.

“Eu recebo isso como uma espécie de batismo religioso que o senador Otto Alencar me fornece”, disse o presidente interino, fazendo referência ao santo que dá nome à bacia hidrográfica.

São Francisco
O decreto assinado nesta terça-feira (9) atualiza iniciativa de recuperação da bacia hidrográfica, iniciada em 2007 pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para membros do comitê da bacia, contudo, o programa federal nunca realmente saiu do papel e as verbas federais foram usadas em outras obras, como construção de estradas.

Em junho, Temer chegou a marcar visita à bacia hidrográfica, mas acabou desistindo com receio de protestos contra a gestão peemedebista, já que o Nordeste é considerado um dos principais redutos eleitorais petistas.

O governo interino anunciou que fará investimento de R$ 1,16 bilhão até 2019 em obras de saneamento básico em 217 municípios do entorno da bacia hidrográfica, além de dar continuidade a iniciativas de recuperação das áreas de proteção permanente e de controle do processo erosivo.

Além disso, a Funasa (Fundação Nacional de Saúde) destinará R$ 218,8 milhões para 122 municípios da região do rio São Francisco para a ampliação e implantação de de sistemas de abastecimento de água. Pelo acordo, as cidades do entorno da bacia hidrográfica terão até 2018 para concluir as obras.

Por Folhapress

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir