Sem categoria

Após derrota para o Remo, na Arena da Amazônia, Lana deixa de ser técnico do Nacional

Nacional 1

 

Aderbal Lana não é mais técnico do Nacional. Após a derrota para o Remo, na noite desta segunda-feira (10), com mais de 10 mil torcedores na Arena da Amazônia, o técnico foi demitido do cargo.

O próprio Lana confirmou a saída na manhã desta terça-feira (11) durante entrevista a uma rádio local. Ele disse que sua saída do time foi decidida ainda ontem à noite, logo após a partida, durante reunião com o presidente do Nacional, Mário Cortez.

“Ficamos conversando até tarde e definiu-se a minha saída. É natural que isso aconteça, visto que a equipe não está tendo um bom desempenho na Série D”, admitiu o treinador, ressaltando que está tranquilo e que houve um acerto amigável.

Ele também disse que continua como funcionário do clube, sendo responsável pela coordenação das divisões de base.

O jogo
Embora tenha sido um jogo movimentado, Nacional e Remo estiveram longe de uma partida empolgante na noite de ontem. No final, aos 48 minutos do segundo tempo, com ótima jogada de Eduardo Ramos, o lateral-direito Levy deu a vitória ao time paraense.

O triunfo deixa o Remo em boa situação no Grupo A1 da Série D do Campeonato Brasileiro com dez pontos conquistados. Já o Nacional vê sua classificação à segunda fase do torneio ainda mais ameaçada. O Leão da Vila aparece em terceiro com apenas quatro pontos conquistados.

Na próxima rodada, enfrenta o Náutico em Roraima e o Nacional ficará de folga, voltando a campo novamente contra o Remo, no Mangueirão, em Belém. O grande problema é o Rio Branco-AC, que tem um jogo a menos e pode abrir a mesma vantagem do Remo, que hoje é de seis pontos. Restando ao Naça apenas mais quatro pontos. E não vai ser fácil.
Análise

O escanteio horroroso cobrado pelo lateral-direito Peter, onde a bola nem sequer adentrou o campo de jogo, foi o cartão de visitas do que seria a equipe nacionalina na partida.
Supreendentemente, o técnico Aderbal Lana começou a partida no esquema 3-6-1, com Peter e Romarinho soltos pelos lados do campo, e Charles e Danilo Rios com a obrigação de minuciar o atacante Júnior Paraíba. Ainda desentrosada, a equipe foi apática e sem organização na criação das jogadas.

Por equipe EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir