Dia a dia

Após denúncias, equipe da Seap averigua se há túnel clandestino no IPAT

Os detentos estão escavando o túnel há uma semana e não permitem a entrada dos agentes penitenciários na cela - foto: divulgação

Os detentos estão escavando o túnel há uma semana e não permitem a entrada dos agentes penitenciários na cela – foto: divulgação

Após denúncias ao EM TEMPO Online, na tarde desta terça-feira (13), de que um túnel de tamanho não identificado estava sendo escavado em uma das celas do bloco C, do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) – no quilômetro 8 da BR-174, rodovia que liga Manaus a Boa Vista -, uma equipe da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) foi enviada ao local.

Conforme o denunciante, que preferiu não se identificar, os detentos estão escavando o túnel há uma semana e não permitem a entrada dos agentes penitenciários na cela. “Os agentes são ameaços pelos internos e não podem entrar na cela. O entulho está sendo colocado próximo ao banheiro da cela”.

A denúncia ainda informa que o efetivo de policiais por plantão não é suficiente para suprir a demanda da unidade. “São cinco policiais para atender a mais de cinco mil detentos”.

Os cinco policiais que ficam em regime de plantão, além de fazerem a segurança do presidio, são obrigados a levarem alguns detentos até a ala feminina de outros presídios para encontros amorosos e até escoltar presos à agências bancárias.

O atual titular da Seap, Pedro Florêncio, confirmou que o efetivo de policiais é pouco.
“O número de policiais que fazem a segurança do presídio não é o ideal. Quando temos que levar algum preso para fora da unidade, deslocamos esses policiais para dar suporte, estou articulando com o Sergio Fontes para aumentar esse número ”, afirmou Florêncio.

Já em relação à escolta dos presos, o secretário informou que todos dos dias alguns presos saem da unidade para irem ao fórum ou a consultas médicas, mas com a autorização judicial.

“Os internos só podem sair com ordem judicial, tanto para audiências, consultas ou mesmo para encontros amorosos fora da unidade onde estão presos.  Não libero ninguém. A Justiça decide quem sai ou não, mas em relação a levar presos agências bancárias, essa informação não procede” explicou.

Referente ao suposto túnel, o secretário disse que uma equipe foi enviada ao local para verificar a veracidade dos fatos. Até o final da tarde, a assessoria  ficou de enviar uma nota de esclarecimento.

Matéria atualizada às 16h15.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir