Sem categoria

Após decisão do TRF, advogado preso na operação ‘La Muralla’ é solto

Luiz foi o último advogado a ganhar a liberdade porque ainda existiam outros tipos de crimes -foto: divulgação

Luiz foi o último advogado a ganhar a liberdade porque ainda existiam outros tipos de crimes -foto: divulgação

O advogado Luiz Sérgio Vieiralves Donato Lopes Filho, preso pela Polícia Federal (PF) na operação La Muralla, em novembro do ano passado, acusado de integrar uma quadrilha de advogados ligada à facção criminosa Família do Norte (FDN), ganhou a liberdade na tarde do último sábado (12) após decisão do Tribunal Regional Federal.

Conforme o órgão, Luiz foi o último advogado a ganhar a liberdade porque ainda existiam outros tipos de crimes, como tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, com os quais o acusado estava envolvido.

Segundo as investigações da PF, os outros advogados, Rosangela Amorim da Silva, Aldemir da Rocha Silva Junior, Janaína Veríssimo, Sulene Veríssimo, Aldemir da Rocha Silva Junior, Lucimar Vidinha Gomes, a ‘Bar Vidinha’, e Janderson Fernandes Ribeiro são apontados pela polícia como membros da FDN, uma vez que eles disponibilizavam suas contas bancárias para serem usadas por traficantes, onde o dinheiro vindo do tráfico era movimentado.

Os advogados ganharam a liberdade dia 24 de fevereiro mediante o pagamento de fiança no valor de 40 salários mínimos – no total R$ 35,2 mil.

De acordo com as interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal, “Bar Vidinha” entrou em contato diversas vezes com José Roberto Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, que estava preso no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), negociando privilégios para o detento e obedecendo às ordens do líder da FDN como tentar trazer do presídio federal Gelson Carnaúba.

Por Ana Sena

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir