Dia a dia

Após anúncio de greve, governo do AM garante que delegacias vão funcionar normalmente

A paralisação está prevista para o próximo dia 25 deste mês – Divulgação/PC-AM

Apesar da aprovação do indicativo de greve dos funcionários da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), ocorrida durante assembleia geral na noite desta quarta-feira (18), o governo do Estado disse que só deve se pronunciar a respeito da decisão após ser notificado oficialmente. Enquanto isso, segundo a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), os serviços nas delegacias estão garantidos.

Já a categoria afirma que a notificação deve ocorrer em até 72 horas , a contar a partir da decisão convencionada e a paralisação está prevista para o próximo dia 25 deste mês.

Por meio da sua assessoria de imprensa, a Delegacia Geral da Polícia Civil informou que, na noite de hoje, também não havia sido notificada sobre a decisão pela greve. No entanto, durante reunião prévia com a cúpula de segurança da instituição, “foi ajustado com os delegados de Distritos Integrados de Polícia (DIPs) e Delegacias Especializadas que a categoria seguiria com os atos de greve e manifestações em frente às delegacias, porém, mantendo o mínimo de 30% dos serviços no período de execução do ato, que deve durar no máximo 24 horas”.

O comunicado expressa ainda que “qualquer observação de descumprimento será base para acionar juridicamente a categoria e a instituição está preparada para isso”, enfatizou a assessoria.

Assembleia

A aprovação do indicativo de greve ocorreu com a participação de mais de 500 funcionários da PC-AM, entre delegados, policiais, escrivães e servidores do administrativo, na sede do Sindicato dos funcionários da Polícia Civil do Amazonas (Sinpol), bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus. O vice-presidente da casa, Ordilei Araújo, destacou que em até 72h os órgãos competentes serão notificados sobre a decisão e a paralisação de 70% dos serviços está prevista para o próximo dia 25 deste mês.

Segundo o presidente do Sinpol, Moacir Freitas, serviços como registro de Boletim de Ocorrência (B.O) e emissão de segunda via de Registro Geral (RG) serão afetados durante a paralisação.

“Apenas serão realizados serviços de registro de flagrantes mediante apreensões da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM)”, destacou.

Reivindicações

A categoria pede o pagamento do escalonamento de 2014, que foi dividido em quatro parcelas, mas, segundo o Sinpol, até esta quarta, os servidores só receberam duas parcelas. A terceira parcela, prevista para ser paga no início de deste mês, não foi depositada.

Isac Sharlon

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir