Dia a dia

Após a animação da folia, a tristeza da lixaria deixada pelas bandas de Carnaval em Manaus

Além do lixo, um grande odor de urina toma conta das ruas - foto: Diego Janatã

Além do lixo, um grande odor de urina toma conta das ruas – foto: Diego Janatã

Depois de reunir multidões na tarde e noite deste sábado (30), boa parte das ruas de Manaus onde aconteceram as mais tradicionais bandas de Carnaval da cidade amanheceram o domingo (31) repletas de lixo e ‘aromatizadas’ com o odor da urina de muitos foliões que não se incomodaram em aliviar, ali mesmo, as suas bexigas cheias de cerveja.

Até às 10h, os sinais de degradação eram visíveis nos estabelecimentos das áreas de realização das tradicionais Banda da Difusora e Banda Independente da Confraria do Armando (Bica), no Centro. Foi o caso da loja de móveis projetados que fica na mesma avenida onde ocorreu umas das bandas. O proprietário, Carlos Abraão, afirmou que as paredes do estabelecimento e as calçadas estavam sujas e com odor fortíssimo.

“O cheiro está insuportável. As pessoas urinam na parede e na calçada, já entrou até na loja. Não sou contra a festa, mas acredito que as pessoas tinham que ter mais respeito”, comentou.

A situação encontrada também não foi diferente em outros pontos do centro da cidade. “Mesmo tendo os banheiros químicos fornecidos pela prefeitura, as pessoas perdem a noção e insistem em fazer as necessidades na rua ou em frente às lojas. Não dá pra suportar o cheiro”, contou Ricardo Souza, vendedor de uma sapataria entre a avenida Eduardo Ribeiro e a Saldanha Marinho.

Além das reclamações do forte odor de urina, a quantidade de lixo na rua depois das festas também gerou crítica. Roberto Junior, que trabalha na secretaria da Paróquia São Sebastião, contou que no dia posterior ao esquenta da banda da Bica, a sala da secretaria estava infestada de urina. “Tinha xixi da porta até debaixo da minha mesa e das cadeiras. É um absurdo, não existe o respeito”, reclamou.

Lei da Limpeza
A ‘Lei da Limpeza’, como ficou conhecida, foi sancionada pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, em dezembro de 2014, em conformidade com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Com a nova determinação, os organizadores de eventos devem incluir em seus orçamentos os gastos com serviços de limpeza (coleta de resíduos, varrição e lavagem) das vias públicas, situadas no entorno dos locais onde ocorreram os eventos.

A Lei prevê que os organizadores de eventos dividam as responsabilidades da limpeza de determinadas áreas da cidade com a prefeitura. Não só na área onde ocorreu o evento, mas também no entorno, onde a sujeira também acaba acumulando. A limpeza de vias após eventos particulares é um custo que a Prefeitura de Manaus pretende evitar.

Caso descumpram a determinação, com a primeira infração, é aplicada advertência para adequação à lei. Reincidências levam a multa de 70 UFMs (Unidade Fiscal do Município), com a unidade avaliada em R$ 83,70. Caso ocorra uma terceira infração, será cassada a licença da empresa para a realização de eventos.

Por Lindivan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir