Sem categoria

Após 292 a favor e 271 contra, professores da Ufam vão paralisar na segunda

os professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) aderiram à greve, após 292 votos favoráveis e 271 contrários - foto: divulgação

os professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) aderiram à greve, após 292 votos favoráveis e 271 contrários – foto: divulgação

Após retomarem as negociações, os professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) aderiram à greve, após 292 votos favoráveis e 271 contrários, durante Assembleia Geral realizada nesta terça-feira (9), no auditório Eulálio Chaves, no Campus da universidade. A greve ficou marcada para a próxima segunda-feira (15).

Os votos computados no interior, geraram polêmica por parte dos docentes da capital no último encontro, ocorrido dia 26 de maio,  que foi decisivo na reta final da contagem dos votos.

Durante a contagem, 184 votos dos professores da unidade em Manaus foram favoráveis ao movimento grevista, somados aos 108 votos do interior, totalizando 292 votos. Dos 271 contrários à paralisação, 254 eram da capital e apenas 14 do interior, além de quatro abstenções entre os docentes da capital e interior. Os dados são da Associação dos Docentes da Universidade do Amazonas (Adua).

Os votos do interior contaram com os campi de Benjamin Constant, Humaitá, Itacoatiara e Parintins. Os votos nestes municípios foram computados e enviados em atas para serem lidos pela comissão da Adua na Assembleia Geral na capital amazonense. Na unidade de Coari, não houve Assembleia Geral para decidir a deflagração da greve.

Por Josemar Antunes (especial EM TEMPO online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir