Esportes

Apesar de sexto posto em Spa, Massa sobe para 4º no Mundial de F-1

O piloto brasileiro pulou de sexto para quarto na classificação do campeonato deste ano-foto: divulgação

O piloto brasileiro pulou de sexto para quarto na classificação do campeonato deste ano-foto: divulgação

A sexta colocação no GP da Bélgica de F-1 não chegou a ser motivo de comemoração para Felipe Massa. Mas também não foi de todo ruim para o piloto brasileiro, já que ele pulou de sexto para quarto na classificação do campeonato deste ano.

Ele está empatado com o ferrarista Kimi Raikkonen com 82 pontos – o líder é Lewis Hamilton, que após mais uma vitória neste domingo, a sexta nesta temporada, soma agora 227 pontos. Nico Rosberg foi o segundo colocado e Romain Grosjean, da Lotus, completou o pódio em Spa-Francorchamps.

Pelos critérios de desempate, o finlandês leva vantagem, já que tem melhores posições de chegada.
“Eu poderia até estar numa situação melhor no campeonato agora porque os pneus mais macios simplesmente não funcionaram no nosso carro durante a corrida”, explicou Massa, que largou do sexto posto e caiu para nono ainda na largada.

Depois de trocar para os compostos mais duros, seu carro melhorou de rendimento e ele conseguiu recuperar posições.

“A gente não tinha aderência nenhuma, minha largada não foi boa e acabou dando tudo errado naquele come. A gente acabou perdendo mais de um segundo por volta em relação à concorrência e todo mundo nos ultrapassava”, afirmou o brasileiro da Williams.

Se a corrida em Spa-Francorchamps não foi das melhores para Massa, para Felipe Nasr foi ainda pior.
O piloto da Sauber terminou em 11º lugar e continua sem marcar pontos desde o GP de Mônaco, em maio – seu companheiro de time, Marcus Ericsson, foi o décimo colocado.

“Desde a terceira volta eu estava sofrendo com um problema no freio e isso comprometeu minha corrida. Tinha horas que o carro chegava a ficar em três rodas porque o equilíbrio estava totalmente errado e parecia que eu estava freando com três rodas”, lamentou Nasr, que já tinha sofrido com o mesmo problema no Canadá e na Áustria.

“Honestamente isso é uma coisa inaceitável e quero entender o motivo de estar acontecendo. Foi uma pena porque mais uma vez perdemos a chance de marcar alguns pontos. Foi um final de semana complicado e cheio de problemas que eu não esperava. Acho que ainda temos uma chance de respirar em Monza, mas enquanto não tivermos as atualizações no carro vamos continuar perdendo estas oportunidades”, afirmou o piloto brasileiro.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir