Política

Apesar de ajuste, presidente do STF quer aumento a servidores da Justiça

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandoswski, disse na noite desta sexta-feira (22) que, “como cidadão”, compreende as dificuldades da economia e irá colaborar com o ajuste fiscal. Como chefe do Judiciário, contudo, irá trabalhar pela melhora dos vencimentos dos servidores públicos do poder.

Ele se referia a aprovação, pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, na última quarta-feira, de propostas de reajustes para servidores da Justiça Federal, entre 53% e 78,5%, escalonados entre 2015 e 2017. A proposta ainda precisa passar pelo plenário.

Ele contestou parecer do Ministério do Planejamento que apontou que o impacto desses reajustes no orçamento seria de R$ 25,7 bilhões nos próximos quatro anos. Segundo Lewandowski, o impacto seria de R$ 10 bilhões em cinco anos, menos da metade, portanto, do que apontou o Planejamento. O ministro conversou brevemente com os jornalistas na saída de uma palestra na FGV, no Rio.

Lewandowski disse que teve uma reunião com o ministro Joaquim Levy (Fazenda) “pleiteando mais recursos para o Judiciário”.

No momento em que o país discute um aperto nas contas e no dia em que o governo anunciou corte de R$ 69,9 bilhões no orçamento deste ano, o ministro afirmou que o que foi aprovado na CNJ não é apenas uma reposição salarial, mas uma reestruturação no plano de cargos e salários da categoria.

Segundo ele, os servidores da Justiça recebem menos que os suas “contrapartes no Legislativo e no Executivo”.

“Como cidadão eu compreendo as dificuldades pelas quais passa o país e claro que vamos colaborar para que o país retome a cena do desenvolvimento. Por outro lado, como chefe do Poder Judiciário, eu tenho que cuidar dos servidores que estão com seus vencimentos atrasados e precisam de um reajuste”, afirmou ele.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir