Política

Ao lado de Evo Morales, Lula diz que PT também comete erros

Durante visita ao Acre ao lado do presidente da Bolívia, Evo Morales, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu que o PT cometeu erros e que quem errou deve pagar por isso.

“O PT, como é composto por seres humanos, também comete erros. E quem cometeu erro tem que pagar pelo erro que cometeu”, afirmou Lula nesta quinta-feira (7).

Os dois participaram de um evento para piscicultores em Rio Branco e visitaram as instalações do complexo industrial do peixe, empreendimento executado pelo governo estadual em parceria com o setor privado.

Lula também saiu em defesa do governo federal e disse que não se pode medir a gestão de Dilma Rousseff com base em cinco meses de governo. Segundo o petista, Dilma “vai fazer tudo aquilo que prometeu na campanha”.

Em seu discurso, afirmou ainda que as medidas econômicas do primeiro mandato de Dilma foram necessárias para manter o Brasil com as menores taxas de desemprego do mundo.

“Tem gente dizendo que o governo da Dilma já acabou. Eu me lembro que, em abril de 2003, diziam que meu governo já tinha acabado. A companheira Dilma sabe perfeitamente bem que ela tem um compromisso com o povo trabalhador deste país”, disse.

“Ela sabe que, como presidente, tem que olhar para todos, mas com mais atenção para aqueles que precisam de mais ajuda do Estado brasileiro.”

Lula também falou sobre o ajuste fiscal e disse que o Brasil não está vivendo “seu melhor momento” devido a uma crise internacional e porque Dilma teve de fazer investimentos para manter o nível de emprego -“mas chegou uma hora que precisou parar, o dinheiro esgotou”.

“Quando a gente vai fazer ajuste fiscal todo mundo se ajusta. E a gente não pode medir o governo da companheira Dilma por cinco meses de governo. A Dilma tem uma história, nós sabemos de onde ela veio e a gente tem a convicção de que ela vai cumprir tudo aquilo que prometeu na campanha”, completou.

Bolívia

No evento, Lula exaltou a gestão de Evo Morales na Bolívia, afirmando que é “motivo de orgulho para a esquerda brasileira” e que o país vizinho nunca viveu um período de paz e progresso como agora.

“Quando esse índio ganhou as eleições na Bolívia, uma parte da elite política brasileira queria que eu brigasse com ele. ‘Lula, você tem que brigar com ele, ele está querendo pegar a Petrobras'”, disse. “Você, Evo, é motivo de orgulho para a esquerda brasileira.”

Lula deixou o evento sem falar com a imprensa e se recusou a comentar o “panelaço” que aconteceu em ao menos dez capitais brasileiras na última terça-feira (5) durante o programa do PT em rede nacional de televisão.

O presidente da Bolívia foi ao Acre para conhecer o modelo de parceria entre os governos federal e estadual e pequenos e grandes criadores de peixe no Estado. Toda a produção é adquirida pela empresa de capital misto Peixes da Amazônia S.A., que beneficia os pescados e comercializa no Brasil e no exterior.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir