Dia a dia

Animais silvestres ficarão de fora do desfile militar no Sambódromo

O animal foi abatido no dia 20 de junho, após participar da cerimônia da passagem da tocha olímpica - foto: Marcio Melo

O animal foi abatido no dia 20 de junho, após participar da cerimônia da passagem da tocha olímpica – foto: Marcio Melo

Durante a solenidade de abertura da Semana da Pátria, o chefe da seção de operações do Comando Militar da Amazônia (CMA), coronel Marcelo Brum, informou que, diferentemente do ano passado, em que o desfile militar aconteceu na Ponta Negra, este ano, acontecerá no sambódromo. Ainda segundo ele, este ano também não haverá exibição de animais silvestres, em decorrência da repercussão da morte da onça Juma, ocorrida no mês de junho, durante a passagem da Tocha Olímpica em Manaus.

“No dia 7 de setembro, estaremos comemorando o Dia da Independência no sambódromo. Este ano, não teremos presença de animais no desfile”, declarou Marcelo Brum.

O desfile de animais selvagens, na maioria das vezes onças-pintadas ou panteras, no 7 de setembro, em Manaus, sempre foi uma tradição. Mas, com o episódio da morte da onça Juma, o Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) entrou com uma ação na Justiça Federal para impedir a utilização de animais em eventos.

O animal foi abatido no dia 20 de junho, após participar da cerimônia da passagem da tocha olímpica, nas dependências do Centro Integrado de Guerra na Selva (Cigs), na Zona Oeste.

No dia 7 deste mês, o Exército Brasileiro foi multado em R$ 40 mil pela morte do animal. A multa foi aplicada pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), após a conclusão das investigações apontar que houve negligência por parte do Exército nos cuidados com a onça Juma e no abate do animal.

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir