Dia a dia

Anamã e Lábrea deixam o estado de calamidade e emergência provocados pela enchente

Mais dois municípios saíram da lista de estado de calamidade pública e de situação de emergência da Defesa Civil do Amazonas, nesta quarta-feira, subindo para 28 o total de cidades, que não se encontram mais em situação extrema, devido à cheia deste ano. Enquanto Anamã (no Baixo Amazonas) saiu do estado de calamidade pública, Lábrea (na região do Purus), deixou a situação de emergência. Ambos tiveram os decretos reconhecidos pelo Estado e a União devido aos danos sociais ocasionados pela cheia.

Anamã teve 8.928 pessoas afetadas pela enchente em 2015, e foi o segundo município a decretar calamidade no Amazonas. O primeiro, Boca do Acre, no Purus, também já deixou a condição extrema.

“Para o município de Anamã já enviamos 1200 kits de limpeza, como parte da operação Vazante e Lábrea também entra no cronograma de ações para receber o material”, informou o secretário executivo da Defesa Civil do Estado, coronel Fernando Pires Júnior.

A “operação Vazante” foi desencadeada pela Defesa Civil no dia 17 de agosto e  está em fase de atendimento aos 16 primeiros municípios que saíram da emergência. Para estas cidades foram destinados 10 mil kits de limpeza contendo vassoura, escova, rodo, balde, sabão em pó e em barra. Em uma segunda fase da ação serão distribuídos mais 12 mil kits.

A meta do órgão é atuar na prevenção de doenças parasitológicas comum neste período de descida das águas, onde há o acumulo de lixo nas ruas e residências, e acompanhar o processo até que se restabeleça a normalidade social.

A cheia deste ano no Amazonas afetou 460.191 pessoas, distribuídas em 92.024 famílias. Destas 460 mil, segundo os dados da Defesa Civil, 198.808 pessoas já saíram do estado de calamidade pública ou situação de emergência, o equivalente a 39.762 famílias.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir