Sem categoria

Américo Gorayeb assume a Seinfra

Gorayeb também era secretário da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) e vai acumular as funções, ganhando status de "supersecretário" - foto: reprodução

Gorayeb também era secretário da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) e vai acumular as funções, ganhando status de “supersecretário” – foto: reprodução

O ex-secretário de obras da prefeitura de Manaus durante da última gestão de Amazonino Mendes, Américo Gorayeb, é o novo titular da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra). O anúncio foi feito nesta terça-feira (27) pela secretaria de comunicação do Amazonas (Secom). Gorayeb também era secretário da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) e vai acumular as funções, ganhando status de “supersecretário”.

O ex-titular da Seinfra, Gilberto Alves de Deus pediu para sair alegando motivos particulares após passar menos de 28 dias. Ele também deixa o comando da pasta de Habitação, que ficou vinculada à Seinfra após a reforma administrativa feita pelo governo em fevereiro. No início deste mês, Gilberto assumiu a Seinfra após a exoneração de Waldívia Alencar.

A exoneração de Gilberto Alves de Deus e a nomeação dos novos secretários serão publicadas na edição de hoje do Diário Oficial do Estado (DOE). A assessoria de comunicação da Seinfra afirmou que o novo secretário não falaria com a imprensa ontem. Ele também dispensou a cerimônia de posse, por achar desnecessário. Na secretaria de Habitação, assume a servidora da Casa Civil, Indramara Bessa.

Polêmicas

Gorayeb chegou à administração de José Melo (Pros) em março deste ano, quando assumiu a SRMM. Ele foi secretário municipal de Infraestrutura (Seminf) em gestões do ex-prefeito Amazonino Mendes (PDT), tanto no estado quanto na prefeitura de Manaus. Em uma delas, se envolveu em um escândalo. Em 2010, o então secretário responsável pelas obras contratou a empresa Emparsanco, segundo ano da gestão de Amazonino, para fazer operação tapa buracos na cidade. Ela teria recebido quase R$ 90 milhões do município para executar as obras, mas não as realizou.

A Emparsanco também responde a inquérito na Polícia Federal por suposta sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Durante o processo eleitoral de 2010, o vendedor ambulante Edivaldo Lopes de Aguiar foi preso pela PF ao tentar sacar, com uma identidade falsa, R$ 5 milhões de uma conta da Santher, uma empresa fornecedora de material de construção civil para a Emparsanco.

Ainda nesse ano, foi descoberto que a principal assessora do secretário Américo Gorayeb, Cristiane Sotto Mayor, era mulher de Jorge Sotto Mayor Fernandes Filho, dono da construtora Mosaico e principal sócio da Emparsanco no Consórcio do Mindu, o que criou um mal estar no governo municipal, envolvido na pior crise desde a posse do prefeito Amazonino Mendes, em janeiro de 2009.

No final de março deste ano, o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (Tjam) pediu o bloqueio dos bens do ex-prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PDT), e de mais dez gestores que participaram da administração direta no período de sua gestão, dentre eles Gorayeb, do ex-diretor presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) Walter Cruz. Além deles, Márcio Arem, Jorge Moura, José Oliveira, HallhitonHall Geber, Maria Lira, Leena Lopes, Alexandre Carvalho e Sérvio Túlio Mattos também estão na lista.

Por Fred Santana

1 Comment

1 Comment

  1. Fastiano

    30 de outubro de 2015 at 21:23

    Decididamente não podemos continuar acreditando em um governo do qual o sr. Gorayeb é Secretário de Estado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir