Dia a dia

Ambulantes denunciam agressões durante fiscalização, no Centro

De acordo com os ambulantes, os fiscais disseram palavras ofensivas e agrediram os vendedores no momento em que faziam a apreensão das mercadorias - foto: divulgação

De acordo com os ambulantes, os fiscais disseram palavras ofensivas e agrediram os vendedores no momento em que faziam a apreensão das mercadorias – foto: divulgação

Um grupo de vendedores ambulantes denunciaram que na manhã desta quinta-feira (6), foram agredidos por fiscais da Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento (Sempab), durante  uma ação de fiscalização na área central de Manaus. De acordo com os ambulantes, os fiscais disseram palavras ofensivas e agrediram os vendedores  no momento em que faziam a apreensão das mercadorias. Os ambulantes também tiveram as   mercadorias apreendidas, cujo  prejuízo, segundo eles, passa de R$ 5 mil.

De acordo com Lucinei Cardoso, 38, que trabalha há três anos vendendo verduras rua Dr. Emílio Moreira, em frente ao prédio da Alfandega, sempre  em que há  abordagem de fiscais da Sempab e eles têm diversos materiais apreendidos. Mas, desta vez, o alvo seria os vendedores ambulantes haitianos. “A gente trabalha aqui nesse trecho com mais outros 15 haitianos. E sempre foi assim. Os fiscais chegam e não falam nada. Tomam nossas coisas e nos agridem. Mas agora a coisa piorou, porque hoje, eles vieram armados com pedaços de pau, bastões de ferro e até faca, para retirar as coisas. Eles não gostam dos haitianos e por isso estão mais violentos”, disse.

A ação dos fiscais da Sempab deixou os ambulantes indignados, como o vendedor Flavio de Oliveira, 49. Para ele, a ação dos fiscais foi ilegal, uma vez que eles chegaram agredindo os ambulantes e ainda teriam jogado frutas e verduras no chão e depois pisado nas mesmas, deixando-as impróprias para o consumo. “Isso o que eles fizeram está errado. Chegaram aqui com um caminhão. Não disseram nada e já foram agredido todo mundo. Os haitianos que não falam a nossa língua foram os mais prejudicados, porque levaram tudo deles. Eles estragaram diversas frutas e verduras, causando muito prejuízo”, contou.

O subsecretário da Sempab, Fabio Albuquerque, confirmou que houve pela manhã uma fiscalização na área central, com a presença de oito agentes, mas negou que os fiscais tenham sido orientados a agir de forma truculenta com os vendedores ambulantes. Segundo o subsecretario, a ação teve como foco a retirada de vendedores haitianos, que passaram a dominar ruas do centro com carrinhos de hortifrútis.

Ainda segundo Fabio Albuquerque, as ações de fiscalizações na cidade, principalmente na área do Centro, são constantes e ocorrem quase que diariamente.  “A prefeitura retirou os ambulantes das ruas do Centro e agora os haitianos estão tomando conta do local. A gente pediu por diversas vezes para que eles se retirassem, mas eles não obedecem e agem de forma bruta com os fiscais, chegando até a agredi-los. Outro dia um fiscal nosso teve a cabeça machucada por um haitiano. Eles também quebraram uma Kombi da Sempab. Essa foi a nossa primeira ação para retira-los de lá”, informou.

O subsecretario também confirmou que foram aprendidos diversos matérias dos ambulantes e que as frutas e verduras serão doadas as instituições de caridade da cidade. Ele disse ainda, que chegou a procurar o Padre Valdeci Molinare, da Paróquia de São Geraldo, que ajuda os haitianos, para que os aconselhassem a deixar as ruas do Centro.

“Os vendedores ambulantes que saíram do Centro reclamam da presença deles, porque eles tiveram que obedecer e os haitianos não? Quem também se sente incomodado com a presença deles são os vendedores daquela área. A única rua do Centro da cidade, que de certa forma eles foram autorizados a ficar temporariamente por nós, até que arrumem um local para trabalhar, foi na rua Tabelião Bessa, no entorno do Mercado Adolpho Lisboa. A gente já ofereceu outras áreas, mas eles não querem sair de lá. Estamos abertos a um diálogo”, afirmou.

2 Comments

2 Comments

  1. tony

    6 de julho de 2016 at 16:18

    O prefeito artur voltou a ser o artur do passado que batia e tocava o terror na cidade manaus

    • vladier

      13 de julho de 2016 at 15:20

      esses ambulantes de acham verdadeiros donos da rua no centro
      vc nem consegue transitar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir