Dia a dia

Ambulante é espancada, roubada e abandonada por mototaxista no Japiim

A vítima foi encaminhada ao HPS João Lúcio - foto: arquivo EM TEMPO

A vítima foi encaminhada ao HPS João Lúcio – foto: arquivo EM TEMPO

Após pegar uma corrida de volta para casa com um homem vestido de mototaxista, a vendedora ambulante Araci Ferreira de Freitas, 46, foi espancada, roubada e abandonada desacordada pelo suspeito, em um local desconhecido pela vítima. A mulher foi encontrada por moradores na rua Francisco Fernando, bairro Japiim, Zona Sul, e conduzida ao pronto-socorro João Lúcio, Zona Leste,  às 4h30 desta quarta-feira (1°).

De acordo com policiais militares da 3ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), populares localizaram uma mulher jogada no chão, bastante debilitada. “Algumas pessoas que passaram pela rua onde ela estava, relataram que a vítima parecia estar morta. A equipe policial só recebeu a informação depois que os moradores da área já tinham prestado socorro e levado a mulher para uma unidade de saúde. Os PMs chegaram a fazer patrulhamento em busca do suspeito e não obteve êxito”, disse um policial que pediu para não ter o nome divulgado.

Conforme consta no relatório da guarda da Polícia Militar do João Lúcio, Araci saiu do local onde trabalha a caminho do ponto de ônibus, no entanto, os coletivos já não estavam mais circulando devido o horário. A vítima decidiu solicitar uma corrida com um mototaxista que passava na rua. Ele cobrou a quantia de R$ 30 reais pelo serviço.

Durante o percurso, o suspeito desviou o trajeto e levou a vítima para uma rua escura. Lá, ele obrigou a vendedora a descer da motocicleta e começou a espanca-la. Depois de caída, o homem pegou o dinheiro da vendedora, cuja quantia não foi informada, e fugiu. Araci ficou desacordada até ser encontrada e levada à unidade de saúde.

A polícia informou que a vendedora ambulante teve ferimentos leves na cabeça, costas e braços e permaneceu em observação até a manhã de ontem. No início da tarde ela recebeu alta médica. Até a publicação desta matéria o caso não tinha sido registrado em nenhuma unidade policial.

Por Thaís Gama

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir