Sem categoria

Amazonense se prepara para o mundial de fisiculturismo, na Hungria

Dany mostra o troféu conquistado no Brasileiro - foto: reprodução

Dany mostra o troféu conquistado no Brasileiro – foto: reprodução

Mal conquistou o 46º Campeonato Brasileiro de Fisiculturismo, no final de semana passado em Brasília, a amazonense Daniely Castilho, 32, já se prepara para o mundial da modalidade, em Budapeste, na Hungria, em novembro.

No último domingo (2) ela subiu ao palco para definitivamente sepultar de vez a idéia de que músculos e feminilidade não podem ocupar o mesmo corpo e, desbancou oito atletas para conquistar a categoria “Womens Physique acima de 1,63”.

A loira de 1,68 deu um show de simpatia, postura e claro, superou as concorrentes ao revelar anos de dedicação e amor ao esporte, com a definição, o volume e a simetria conquistada com o desenvolvimento muscular.

Apesar de já ter se destacado no Campeonato Amazonense, em julho, a atleta se surpreendeu com o resultado, no primeiro ano de disputa do brasileiro. “Foi bem legal, não esperava por este título. Comecei esse ano, ganhei o Amazonense, mas na minha categoria, ninguém competiu, foi só uma apresentação. Não tinha experiência para o brasileiro, não sabia se estava preparada. Foi um grande passo, fui direto para o nacional tentar. Foi inesperado, mas muito legal. Tive uma preparação muito boa e bem detalhada há um ano”, ressaltou.

Para alcançar bons resultados, a atleta segue uma rotina de treinos alucinante. De segunda a sábado ela pratica aeróbica durante as manhãs, para equilibrar a gordura corporal. De tarde, ela dedica-se de 40 minutos à uma hora na musculação. É um trabalho minucioso, que divide a atenção dos treinos de acordo com os grupos musculares, sempre acompanhada pelo treinador e vice campeão brasileiro, Bernardo Cesarino, na academia Elife. “Segunda-feira eu trabalho perna, terça ombro, quarta costas. É um trabalho bem detalhado”, explicou.

Além da dedicação na academia, a fisiculturista segue uma dieta rigorosa, tendo que se alimentar de três em três horas. Apesar de restrita, a alimentação é rica em frutas, água, vitaminas, proteínas e carboidratos. “Nos oito meses que antecedem o campeonato iniciamos a preparação. Primeiro temos a dieta de ganho, em que tenho que comer mais para conseguir atingir a massa magra e no período de pré-competição, perder gordura e manter a massa magra. Tudo é acompanhado pelo nutricionista, porque cada momento da preparação é focado em uma meta”, disse.

Na categoria de Daniely é necessário muita determinação para seguir a dieta, uma vez que ela chega a subir ao palco com apenas 3% de gordura no corpo.

“O fisiculturismo, principalmente na minha categoria, não é tão aceito, pois foge ao padrão do corpo da mulher brasileira. Não pode ter muito volume nos glúteos. O tronco tem que ser mais largo e a perna mais estreita. Por isso os atletas brasileiros têm intenção de competir fora do país, a nível mundial, onde há mais investimentos e patrocinadores na categoria”, explicou.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir