Cultura

Amazonense resgata o amor em livro de poemas

Nova obra de Ferreira é seu primeiro livro a ter distribuição para todo  o Brasil- foto: divulgação

Nova obra de Ferreira é seu primeiro livro a ter distribuição para todo
o Brasil- foto: divulgação

O autor amazonense Carlos Almir Ferreira lançou no último mês de maio ‘Íntimas Palavras’, seu quarto livro e o primeiro a ser publicado e distribuído em todo o território nacional, por meio do selo Talentos da Literatura Brasileira | Novo Século Editora. Também escreveu ‘Poesias Perdidas’ (1997), ‘Simplicidade Poética’ (1999), estes dois de maneira independente, e por último ‘Tantos Mundos’, com apoio da livraria Valer.

‘Íntimas Palavras’ é uma antologia poética que tem a imensa pretensão de expressar o amor, em suas mais diversas facetas e formas de linguagens. Muitos deles em primeira pessoa, como as recitações de um eterno amante. “O meu estilo é a poesia livre. Admiro quem escreve no estilo métrico, mas não me vejo fazendo isso”, falou o autor para o EM TEMPO.

Outra motivação para a obra foi homenagear um ídolo injustiçado: José Guilherme de Araújo Jorge. Mais conhecido como J. G. de Araújo Jorge, ele foi escritor, poeta e político brasileiro. Jorge foi conhecido como o ‘Poeta do Povo e da Mocidade’, pela sua mensagem social e política e por sua obra lírica, de linguagem simples, impregnada de romantismo moderno, mas às vezes, dramático. Foi um dos poetas mais lidos do Brasil.

O ano de 2014 marcou o centenário do nascimento do seu nascimento, algo que passou despercebido por boa parte do meio acadêmico-literário. Mesmo presidente perpétuo da Academia Amazonense de Letras, apenas a Academia Acreana de Letras lembrou-se dele.

Referências

Carlos Almir Ferreira é de Manaus. Formado em Ciências Contábeis e Direito, mora em sua cidade natal, onde sempre viveu e trabalhou. Atuou na advocacia e há 13 anos é Analista Processual do Ministério Público da União, exercendo suas atividades no Ministério
Público Federal.

Dentre as principais referências de Ferreira, estão os poetas amazonenses Aníbal Beça – gosto do sentimento que ele passa em sua poesia – e Thiago de Melo, a quem chama de ‘nosso poeta maior’, além do chileno Pablo Neruda.

Após lançar sua primeira publicação em território nacional, o autor amazonense já vislumbra seus próximos trabalhos.

O primeiro deles é um livro de poesia ilustrado para o público infantil com a temática ‘pai e filho’. Além disso, prevê a segunda edição de ‘Tantos Mundos’.

Por Fred Santana (especial Jornal EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir