Cultura

Amazonense Paulo Onça compõe na Grande Rio para 2017; enredo homenageia Ivete Sangalo

Paulo concorre com outros nove sambas-enredo, e decisão será feita pela própria Ivete Sangalo, em setembro – foto: divulgação

Paulo concorre com outros nove sambas-enredo, e decisão será feita pela própria Ivete Sangalo, em setembro – foto: divulgação

A Tricolor de Caxias, G.R.E.S. Acadêmicos da Grande Rio, vem para o Carnaval de 2017 com o enredo ‘Ivete do rio ao Rio!’, homenageando a cantora baiana, Ivete Sangalo. E, para homenagear a maior musa do Carnaval, o sambista amazonense Paulo Onça está mais uma vez concorrendo com um belo samba-enredo. A composição foi feita em parceria com Kaká, Dinho Artiligri, Rubens Gordinho, Alan Vasconcelos, Marco Moreno, Marcelo Bracco, Hugo Libanio, Carlinhos Fiscal, Fabio Gaspar e Flavio Martins.

“Eu, como amazonense, ao escrever um samba que homenageia a maior cantora baiana, e competir em uma escola de samba carioca, me sinto mais brasileiro possível por somar tantas culturas. Vencer vai ser um legado para a nossa terra!”, comemora.

O sambista Paulo Onça também faz parte da Ala de Compositores da escola carioca. E sua história na composição de sambas-enredo teve início há bastante tempo. Caso vença, este não será o primeiro samba composto por ele a ser ouvido nos quatro cantos da Sapucaí.

Isso porque sua carreira começou aos 20 anos cantando nos bares de Manaus. Em seguida, concorreu como compositor na escola de samba Vitória Régia, onde emplacou o seu primeiro sucesso, ao escrever o samba-enredo “Nem Verde Nem Rosa”. A canção se tornou uma das mais conhecidas do Carnaval de Manaus e fez a Vitória Régia conquistar o campeonato em 1990. Hoje, em Manaus, Paulo Onça faz parte da Ala de Compositores da Reino Unido da Liberdade, campeã do carnaval de 2016, onde já compôs vários sambas.

Sucessos
As músicas de Paulo Onça já chegaram nas vozes de outros grandes nomes do samba nacional, como Jorge Aragão e Zeca Pagodinho. Os cantores gravaram o sucesso “Feitio paixão”, que estourou em 1999. A composição foi realizada em parceria com Paulo Carvalho. Entre os inúmeros intérpretes que gravaram suas músicas, destacam-se também Felicidade Suzy, Lucilene Castro e Royce do Cavaco.

A veia artística do sambista amazonense consagrou-se mesmo com o samba-enredo “Parintins para o mundo ver”, que fez da Salgueiro a campeã do Carnaval carioca em 1998, quando concorreu com 288 compositores, conquistando o primeiro lugar.

O presidente de honra Helinho de Oliveira, o presidente Milton Perácio e a historiadora Elenise Guimarães explicaram, em reunião com a Ala de Compositores, como a Grande Rio pretende conduzir a história de Ivete na Avenida, e que não vai ser só a biografia da Ivete Sangalo, mas um grande mosaico de diversas culturas musicais, com a música sendo o fio condutor, e o Paulo Onça com seu grupo de compositores não economizaram na qualidade desse samba concorrente.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir