Sem categoria

Amazonense inicia luta por vaga nas Olimpíadas

O amazonense não é um calouro nesse esporte, conhecido como luta olímpica. Nos Jogos Universitários Brasileiros, ganhou a medalha de ouro - foto: divulgação

O amazonense não é um calouro nesse esporte, conhecido como luta olímpica. Nos Jogos Universitários Brasileiros, ganhou a medalha de ouro – foto: divulgação

Único amazonense na lista da Confederação Brasileira de Wrestling (CBW) para a disputa do Campeonato Mundial de Wrestling, no Irã, Paulo Victor Souza, 24, pretende adquirir mais experiência no evento internacional. O atleta planeja entrar na relação dos melhores do Brasil na modalidade. A participação no torneio, nos dias 28 e 29 deste mês, é a chance que o lutador precisa para alcançar índice olímpico.

Atleta da categoria até 97 quilos, o amazonense não é um calouro nesse esporte, conhecido como luta olímpica. Nos Jogos Universitários Brasileiros, ganhou a medalha de ouro. “Sem dúvida essa convocação é um divisor de águas na minha carreira. Lutar no Irã é a realização de um sonho”, disse Paulo Victor, que tem 1,84 metro de altura. O tamanho, nesse caso, é documento quanto se trata de um esporte em que força e técnica são decisivas para a vitória.

Conciliar técnica com condicionamento físico é a base do treinamento do atleta. Paulo Victor revela que, como não sabe quem serão os adversários, a preparação deve ser equilibrada entre a técnica dos golpes e a força física para anular os oponentes. “Só vou conhecer a maioria dos meus adversários na hora. Estou muito ansioso mesmo para conhecer o atual campeão olímpico da modalidade, o americano Jake Varner, que foi ouro em Londres 2012. Para mim, o mais importante é unir técnica e força física. Assim, evito ser surpreendido”, disse.

A convocação para a disputa no Irã é considerada pelo amazonense como uma oportunidade de ouro para tentar uma vaga na Olimpíada do Rio, em 2016. “Essa convocação me coloca entre os atletas que poderão formar a equipe pré-olímpica e disputar as seletivas para os Jogos Rio 2016. A competição lá é muito forte. Estão indo os principais atletas da seleção brasileira. Eles querem fazer como espelho do pré-olímpico. É um sonho para lutadores do mundo todo”, disse.

O presidente da Federação Amazonense de Luta Olímpica (Falle), Helton Henrique, disse que a convocação de Victor é para ser comemorada. “Estamos num processo de revelar novas promessas para futuras convocações e assim manter a tradição do Amazonas de revelar talentos para a seleção”, disse.

Para Helton, a convocação de Paulo Victor é a certeza de que há um trabalho de base promissor na luta olímpica, em Manaus. “Essa também é uma vitória particular de técnico Dagoberto Arbolaez, que é o principal responsável pela mudança e melhoria técnica de nossos atletas. Somos gratos a ele por tão brilhante trabalho”, disse Falle.

Começo

A carreira no esporte teve início em um projeto social de luta livre do professor Júnior Lopes, popular em Manaus pelo ensino do jiu-jítsu. Entre os anos de 2011 e 2012, passou a treinar luta olímpica com o técnico e atleta Waldeci Silva na Nilton Lins. A primeira medalha foi a de bronze no Campeonato Brasileiro de 2013, em São Paulo. Em 2014, no Rio de Janeiro, novamente ficou em terceiro lugar. No mesmo ano, Paulo Victor foi convocado para o Sul-Americano e voltou para Manaus com mais um bronze.

Este ano, o amazonense integrou a seleção brasileira de wrestling e faturou, em São Paulo, a medalha de ouro do Brasileiro Universitário. Paulo Victor treina com o técnico cubano Dagoberto Arbolaez, na Vila Olímpica de Manaus. Ele é beneficiado pelo programa Bolsa-Atleta, da Prefeitura de Manaus.

Por Lindivan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir