Sem categoria

Amazonas quer participar mais na elaboração de Processos Produtivos da ZFM

Do total de 24 projetos incluídos na pauta da reunião do Codam, que relacionava investimentos estimados em R$ 830 milhões e geração de 1.235 vagas no mercado de trabalho - foto: divulgação

O anúncio foi dado durante reunião do Codam, do total de projetos, 24 estavam incluídos investimentos de R$ 830 mi para geração de 1.235 vagas no mercado de trabalho – foto: divulgação

O Governo do Amazonas vai brigar para ter mais participação na elaboração do Processo Produtivo Básico (PPB), as etapas obrigatórias de industrialização no Polo Industrial de Manaus (PIM) definidas pelo governo federal, adiantou nesta quinta (21) o secretário de estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação Thomaz Nogueira, na 255ª reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam). O secretário também defendeu maior descentralização da atividade econômica, hoje concentrada em Manaus, para municípios-polos do interior do Estado.

Pela primeira vez no comando da reunião do Codam desde assumiu a Seplancti no final de março, Thomaz Nogueira argumentou que há casos de definição do PPB, sem o qual as empresas incentivadas não podem produzir, que se arrastam por meses pelo Ministérios da área econômica do Governo Federal, o que acaba por afastar investimentos em novos segmentos da industrial local. “Precisamos trazer a discussão do PPB para a racionalidade”, disse o secretário.

A diversificação da atividade econômica, além do fortalecimento do PIM, é um dos grande desafios assumidos pelo governador José Melo nessa administração, afirmou Thomaz Nogueira ao detalhar o modelo de reestruturação da Seplancti, antiga Seplan, que absorveu as ações de Ciência, Tecnologia e Mineração, a partir da reforma administrativa efetivada em fevereiro. “Essa fusão na verdade vai mais longe, é a busca por mais eficácia no Planejamento”, resumiu.

É com essa orientação que a Seplancti passa a atuar, explicou Nogueira. “Estamos propondo a construção de um modelo de diversificação e expansão econômica do desenvolvimento orientado pelo viés da ciência e tecnologia”.

Codam

Do total de 24 projetos incluídos na pauta da reunião do Codam, que relacionava investimentos estimados em R$ 830 milhões e geração de 1.235 vagas no mercado de trabalho, ao longo do período de até três anos, apenas um foi retirado de pauta, a pedido da própria empresa, para nova análise técnica, o da A M Química e Comércio Produtos Químicos, para a produção de bebidas não alcoólicas, com recursos estimados em R$ 1,5 milhão.

Projetos para a produção de telefone celular, tablets e HDs foram destaques na pauta de projetos aprovados do Conselho, entre os quais o da empresa Transire para a fabricação de telefone celular digital e terminal de captura de dados com investimentos de R$ 49 milhões. A Semp Toshiba aprovou projetos para a produção de dispositivo de cristal líquido para televisor com recursos de R$ 97 milhões. A Flextronic aprovou projeto para a fabricação de placa de circuito impresso para aparelho de áudio e vídeo. Esse empreendimento deve gerar 185 postos de trabalho.

No acumulado do ano, incluindo os projetos industriais aprovados em fevereiro, o investimento projetado pelo Codam até o momento é de R$ 2.127 bilhões e 2.939 novas vagas, em um total de 48 proposições encaminhadas por empresas.

 

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir