Sem categoria

Amazonas é o segundo Estado com mais casos de HIV no ranking nacional

O não uso de preservativos nas relações é um dos fatores que contribui para a maior contaminação dos jovens – foto: divulgação

O não uso de preservativos nas relações é um dos fatores que contribui para a maior contaminação dos jovens – foto: divulgação

O Amazonas é o segundo Estado no ranking nacional de novos casos de detecção de HIV/Aids, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) informou que o crescimento no número de casos registrados se deu nos últimos dez anos e que os jovens são os mais atingidos.

De acordo com a médica infectologista e coordenadora Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, Silvana de Lima e Silva, a maior incidência está na população masculina, nas faixas etárias entre 20 e 34 anos, mas o aumento de jovens de 15 a 24 anos contaminados com o vírus HIV tem sido motivo de preocupação para os órgãos de saúde.

“Nós observando um crescimento nas faixas etárias mais jovens. O que corrobora com dados do país. Os casos estão aumentando nas populações mais jovens, isso por conta do início da vida sexual dos brasileiros, que ocorre de forma mais precoce. Várias pesquisas mostram que a média é em torno de 15 anos e eles iniciam sem o uso do preservativo, sem prevenção”, explicou a infectologista.

Ainda de acordo com Silvana, outro fator que tem colaborado com os altos índices, tem sido a confiabilidade nos métodos para tratar o vírus e as infecções advindas deles, o que fez com que muitas pessoas descuidassem da prevenção.

“Isso fez com que as pessoas confiassem mais no tratamento e relaxassem na prevenção. O que a gente tem que alertar é que a Aids continua matando e é uma doença que se não for diagnosticada no início, quanto mais debilitado estiver o sistema de defesa, mais difícil e doloroso é o tratamento. Então com o passar dos anos, um diagnóstico tardio, a resposta do tratamento não é tão rápida”, disse a médica.

Silvana contou que o número de soropositivos saltou também devido aos registros obrigatórios de pessoas que têm o vírus HIV, assim com as infectados pela Aids. Antes, eram listados apenas os portadores do vírus, hoje quem desenvolve as infecções provenientes também passa a figurar nos indicadores.

Dados
No Amazonas, em 2014 no período entre janeiro e julho, foram registrados 1.204 casos. Já este ano, no mesmo período, foram listadas 622 pessoas. A capital amazonense está no topo da lista com mais infectados pela AIDS, seguida de Tabatinga e Parintins.

Para combater o crescimento contínuo, a Susam informou que tem trabalhado com ações de prevenção e conscientização de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e Aids nos meios juvenis, desenvolvendo atividades em ambientes escolares, com lideranças jovens e em pastorais das igrejas católicas em várias zonas da capital amazonense, por exemplo.

Por Cecília Siqueira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir