Dia a dia

Alunos apresentam projeto de gás natural em feira

A ideia foi passada aos alunos que imediatamente despertaram a atenção - foto: divulgação

A ideia foi passada aos alunos que imediatamente despertaram a atenção – foto: divulgação

Alunos do 5° ano da Escola Municipal Professora Genilda Martins, no Tancredo Neves, zona Leste, apresentaram nesta sexta-feira (14), na feira de ciências da unidade de ensino um projeto que transforma comida e fezes de animais em gás metano, utilizado como gás de cozinha na preparação da merenda escolar. Além deste, outros trabalhos na escola também foram apresentados com base no tema “Transformação do lixo em gás e energia”. Participaram do evento 400 alunos.

A experiência dos alunos do 5° ano foi supervisionada e orientada pelo professor Alexandre Barroncas. Ele conta que buscou referências sobre a reutilização do lixo e encontrou um projeto parecido na internet. A ideia foi passada aos alunos que imediatamente despertaram a atenção. De acordo com ele, o processo é simples. “Em um reservatório de 60 litros, usamos metade do espaço para as fezes e a outra metade para água. Depois, esperamos fermentar”, explicou, ao lembrar que o processo não é prejudicial ao meio ambiente.

“Nós já tínhamos acompanhado um trabalho da faculdade, em 2010, e resolvemos trabalhar isso com os alunos. Todos gostaram da ideia e começamos a trabalhar. Visitamos pesquisadores do Ifam (Instituto Federal do Amazonas), trocamos ideias e percebemos que era possível fazer. O trabalho ficou muito bom, além de ser uma solução econômica. Usamos o que descartamos e transformamos em energia”, concluiu.

Um dos alunos envolvidos na experiência é Aldinei Lima, 13, do 5º ano. Ele disse que apesar de já ter ouvido na rádio sobre a possibilidade de transformar lixo em energia e gás, não tinha noção de como fazer isso. “Aqui a gente faz o gás e liga no fogão. É bem prático de fazer e não gastamos dinheiro”, disse.

Preocupação ambiental

A diretora da Escola Municipal Professora Genilda Martins, Selma Rodrigues, explicou que o tema da feira de ciências foi escolhido para informar os alunos e pais sobre a importância da preservação do meio ambiente, uma vez que problemáticas ambientais são comuns no bairro, como o mal acondicionamento de lixo pelas famílias.

“A comunidade tem esse problema. Aqui na escola, nós trabalhamos o meio ambiente direto e tentamos sensibilizar os pais. Antes da feira de ciências, nós fizemos uma reunião com eles (pais) sobre o lixo. A feira pensou em um problema da comunidade e trouxe uma solução”, observou.

“Esse tema (transformação de lixo em gás de cozinha) foi maravilhoso para o conhecimento dos alunos e trouxe economia para nós. Imagina se todas as escolas pudessem fazer isso. Seria uma economia enorme para a Semed (Secretaria Municipal de Educação)”, sugeriu a diretora.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir