Dia a dia

Alunos aprendem sobre sustentabilidade em aulas práticas

A atividade auxilia na disciplina de ciências e ajuda a compor a merenda escolar com vegetais produzidos pelos alunos – Divulgação

Colocar as mãos na terra, plantar, cuidar e preservar também são coisas de criança e de adolescente. Os afazeres agora fazem parte da rotina de alunos da educação infantil do 1º ao 9º ano do ensino fundamental de 44 unidades escolares em Manaus. As chamadas “hortas pedagógicas” fazem parte do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) Escola Sustentável, do Ministério da Educação (MEC), e atende outras 63 escolas com outros projetos.

No total, 55.422 alunos das 107 unidades escolares são beneficiados com projetos do PDDE – Escola Sustentável. Dentre as ações voltadas às hortas pedagógicas, estão o plantio e a colheita de hortaliças que atendem a necessidade da própria unidade.

A diretora da Escola Municipal Marly Barbosa Garganta, no bairro Terra Nova, Zona Norte, Geise Roque de Souza, sentiu a necessidade de implantar um projeto na escola. “Comecei a conduzir a administração da escola no ano passado e aqui no terreno tinha uma parte ociosa. Pensei em fazer participar do projeto. Hoje nossa horta traz vários benefícios, ela é uma espécie de laboratório vivo para os alunos e tudo o que produzido por ela, é aproveitado na cantina para alimentação das nossas crianças”, contou.

A diretora ainda comenta o trabalho de sustentabilidade com a comunidade. “Trabalhamos em conjunto com os professores da escola e tivemos um retorno muito positivo dos pais dos alunos, que incentivam os filhos com ações sustentáveis. Muitos dos alunos passaram a plantar suas hortinhas em casa”, informou.

Na Escola Municipal Raul de Queiroz, localizada no bairro Cidade de Deus, também na Zona Norte, a diretora Dulcinéia Silva de Souza desenvolve o projeto desde 2011. Dentre os vegetais produzidos estão o coentro, cebolinha, couve, alface e chicória. “Iniciamos também um trabalho de pomar, plantamos juntamente com os alunos mamão, banana e acerola. Queremos mostrar para os alunos a importância do meio ambiente, do cuidado com a escola e principalmente sobre a alimentação saudável”, disse Dulcinéia Souza.

Hoje, 44 escolas da rede municipal de ensino já têm hortas implantadas – Divulgação

Extracurricular

Outra escola que trabalha com hortas como atividades extracurriculares é a Escola Municipal Pintor Leonardo Da Vinci, localizada no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus. De acordo com a diretora da instituição, Lydiane Cristina de Lima Brito, o projeto “Afra, plantando para um futuro mais verde” foi desenvolvido por uma professora da escola e tem gerado muitos frutos.

“O projeto existe antes mesmo da minha chegada ao colégio. Aqui, cada aluno tem a sua árvore e tem o compromisso de cuidar dela. Assim trabalhamos tanto a parte sustentável, meio ambiente quanto a responsabilidade de cuidar do ser vivo, ajudando no desenvolvimento da criança”, afirmou. Com sua horta escolar desde 2012, o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Olavo Bilac, no Parque das Nações, Zona Sul, beneficia 196 crianças do 1º e 2º períodos com o programa. Para a diretora Ellen Cristina Almeida dos Santos, é de grande importância que a secretaria abrace os projetos voltados para o meio ambiente e a sustentabilidade.

Repasse financeiro

O PDDE sustentável consiste no repasse financeiro para promover ações voltadas à melhoria da qualidade de ensino e apoiar as escolas públicas na adoção de critérios de sustentabilidade socioambiental, considerando o currículo, a gestão e o espaço físico, de forma a torná-las em espaços educadores sustentáveis.

Bárbara Costa
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir