Economia

Alimentos e energia elétrica pressionam inflação em maio

Alimentos continuaram a pressionar a inflação oficial em maio deste ano, com alta de preços de 1,37% no mês. O grupo de despesas alimentação e bebidas responderam por quase metade da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que ficou em 0,74% em maio, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre os alimentos com taxas mais altas de inflação aparecem cebola (35,59%), tomate (21,38%) e cenoura (15,9%). Outros alimentos que tiveram altas de preço em maio foram carnes (2,32%), pão francês (1,6%), macarrão (1,42%) e leite longa vida (1,32%). Em 12 meses, os alimentos acumulam alta de 8,8%, pouco acima da média da inflação (8,47%).

Outro grupo de despesas que teve impacto importante na inflação de maio foi habitação, com taxa de 1,22%. Principal responsável por essa alta de preços, a energia elétrica, com inflação de 2,77%, foi também o item individual que mais pesou no IPCA de maio.

Em 12 meses, o grupo de despesas habitação teve inflação de 17,59%, alta puxada pela energia elétrica que, no período, ficou 58,47% mais alta para o consumidor brasileiro.

Por outro lado, os transportes ajudaram a frear a inflação, com uma queda de preços de 0,29%. O principal responsável por essa deflação foi o item passagens aéreas, que ficou 23,37% mais barato para os consumidores.

 

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir