Política

Aliado de Russomanno é confirmado para relatar cassação de Cunha

Pinato é o deputado eleito por São Paulo com o menor número de votos- foto: divulgação/Câmara

Pinato é o deputado eleito por São Paulo com o menor número de votos- foto: divulgação/Câmara

O deputado Fausto Pinato (PRB-SP), 38, será confirmado nesta quinta-feira (5) como o relator no Conselho de Ética do processo de cassação contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A informação foi repassada a integrantes do Conselho pelo presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PSD-BA), que anunciará a escolha em entrevista coletiva às 12h.

Araújo demorou dois dias para se definir entre Pinato e os outros dois deputados sorteados para o caso -Vinícius Gurgel (PR-AP) e Zé Geraldo (PT-PA).

Nos bastidores, o presidente do Conselho, que não é do grupo político de Cunha, chegou a cogitar realizar novo sorteio com o argumento de que contra os três pesavam fatores que os impediriam de relatar o caso com isenção.

Pinato e Gurgel apoiaram a eleição de Cunha para a presidência da Câmara. Geraldo pertence a um partido que, nos bastidores, discute com Cunha um acordo de não agressão que envolve os pedidos de impeachment de Dilma Rousseff.

Venceu, porém, a tese de que novo sorteio poderia dar argumentos para Cunha questionar na Justiça eventual resultado desfavorável a ele no Conselho. Araújo também conversou com pessoas que conhecem Pinato, entre eles o ex-deputado e ex-secretário do Estado de São Paulo Julio Semeghini, para quem Pinato trabalhou.

Pinato é o deputado eleito por São Paulo com o menor número de votos (22.097), tendo obtido a cadeira na esteira do 1,5 milhão de votos de Celso Russomanno (PRB-SP).

Russomanno, que é líder do PRB na Câmara e pré-candidato mais bem colocado à Prefeitura de São Paulo, assegurou ao presidente do Conselho que não haverá arquivamento sumário do processo contra Cunha e que o caso será relatado com absoluta isenção e sem concessões a pressões.

O PRB, porém, é um dos partidos que dá sustentação política a Cunha, apesar das acusações de envolvimento do peemedebista com o esquema de corrupção da Petrobras.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir