Política

Aleam ouve sugestões de entidades estudantis para Plano Estadual de Educação

Plano-Educacao

Uso dos recursos e cumprimento das metas permeou os debates da audiência pública desta terça (26), que contou com a participação das lideranças estudantis do Amazonas – foto: divulgação

Em audiência sobre Plano Estadual de Educação (PEE) nesta terça-feira (26), representantes dos movimentos estudantis colocaram suas propostas ao presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Doutor Gomes (PSD) e sugeriram reformulação no ensino médio.

A sessão foi proposta pelos deputados estaduais José Ricardo (PT),e Alessandra Campelo (PC do B), por considerarem que  os estudantes foram excluídos da Comissão de Sistematização do Documento Base do PEE e das discussões para o aperfeiçoamento do Plano no chamado ‘Dia D da Educação’, ocorrido em 18 de maio, nas escolas públicas e privadas.

O representante da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), José Braz Melgueiro, apontou que o PEE ainda não está pronto e lembrou que o prazo é até o dia 24 de junho, mas rebateu a alegação de que os estudantes não foram contemplados na discussão das propostas.

“Nós tivemos uma conferência estadual em outubro de 2013, com a representação dos estudantes. Nesta conferência foram tirados representantes dos estudantes para a conferência nacional em novembro de 2014”, argumentou.

Braz Melgueiro continuou dizendo que o apanhado de propostas foi encaminhado pelo fórum, do qual a Seduc é somente mais um componente.

“No ‘Dia D’, todas as escolas públicas da capital e do interior foram convidadas a participar, se organizaram. Lógico que foram convocadas”, contou, informando que o site da Seduc também disponibiliza todas as atividades e que está acessível para todos.

Melgueiro lembrou que entre os dias 13 e 23 deste mês, qualquer cidadão poderia colocar suas propostas, e foram mais de 12 mil sugeridas, e que as metas são analisadas em cima dos diagnósticos.

Estrutura e metas

O deputado José Ricardo (PT), criticou a estrutura das escolas e citou como exemplo o da Escola Estadual Professor Cleomenes do Carmo, localizada no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste da cidade, que qualificou como precária, por não possuir sequer uma quadra de esporte, mesmo sendo uma escola com mais de 2.000 alunos.

José Ricardo também relatou ter recebido inúmeras denúncias dos pais de alunos sobre falta de estrutura, de professores, e de segurança nas unidades de ensino.

O deputado Doutor Gomes (PSD), por outro lado, enfatizou que as metas estabelecidas para garantir a qualidade na educação dos estudantes brasileiros estão sendo superadas pelo Estado e que a injeção de recursos garante uma nova metodologia no ensino.

“Dentro das 20 metas estipuladas pelo governo federal, o Amazonas sai na frente estabelecendo 21 metas, que é da conectividade. Essa uma meta a mais, para o Amazonas, a mais importante, visto que o aluno do interior vai estar conectado através desta meta proposta”, defendeu.

Alimentação e creche

Para o presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), Lucas Pinheiro, o ensino médio deve oferecer capacitação profissional aos estudantes e, com isso, garantias para inserção no mercado do trabalho.

Foi observado também pelo estudante, que não basta aumentar o número de alunos matriculados, mas a permanência destes, inclusive com fornecimento de alimentação.

“Os alunos do curso de tempo integral, como os do Instituto Federal do Amazonas [Ifam], em sua grande maioria, não têm condições de bancar sua despesa diária de alimentação”, argumentou.

A representante da União Estadual dos Estudantes (UEE) Bruna  Brelaz, defendeu a necessidade de criar creches universitárias. Segundo ela, parte da evasão escolar acontece devido as mulheres não terem com quem deixar seus filhos.

A audiência finalizou com a garantia dos deputados em enviar requerimentos e indicações ao governador José Melo (Pros) e ao secretário de educação para análise das propostas.

Por Conceição Melquíades (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir