Sem categoria

Aleam indicará substituto de Michiles no TCE-AM

Com a aposentadoria do conselheiro Raimundo Michiles do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) no próximo dia 28 de agosto, expectativas e especulações envolvem o preenchimento da vaga. Com salário de R$ 30.471,10, o substituto ocupará cargo vitalício e será indicado pela Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

O TCE é o órgão de fiscalização financeira do Estado e dos municípios, além das entidades da administração indireta e entidades do poder público.

A vaga é muito cobiçada porque um conselheiro deixa o cargo ao completar 70 anos. Os requisitos para ser indicado são: ter mais de 35 anos e ser formado em direito, administração ou economia.

Com quase dois meses para a abertura da vaga, a disputa pelo cargo já está acirrada nos bastidores. Um dos mais cotados para a vaga é o atual secretário de Estado de Representação do Governo, Mário Mello. Com residência em Manaus, o alagoano é primo do ex-presidente da República, senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL).

Mário Mello já concorreu por outros Estados a cargos públicos e prestou serviços a várias administrações públicas no Amazonas, em Roraima e no Amapá.

Outro nome contato para o cargo é o deputado federal Silas Câmara (PSD). O parlamentar responde a dois inquéritos. Em um deles, por corrupção eleitoral passiva. Ele também é suspeito de captar votos de alunos que frequentavam cursos de informática, corte e costura, oficinas de artesanato, aulas de reforço, aulas de alfabetização de jovens e adultos e palestras motivacionais realizadas pela Fundação Boas Novas.

Em outro processo, Silas é suspeito de se apropriar de parte dos salários de assessores de seu gabinete, além de contratar funcionário “fantasma” e servidores vinculados à Assembleia Legislativa do Estado.

Silas é investigado, também, em uma ação penal que corre em segredo de Justiça. Na ação, ele é acusado de usar documento de identidade falso em uma procuração. Seu nome também está ligado ao convênio entre a Secretaria de Cultura e a Fundação Boas Novas, que recebeu quase R$ 9 milhões em emendas propostas por ele mesmo.

A reportagem tentou contato com o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado Josué Neto (PSD), para comentar sobre a indicação, mas não obteve sucesso.

 

Por Fred Santana EM TEMPO

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir