Dia a dia

Ajudante de pedreiro é apresentado na DG como autor da morte de manicuro, no Cidade de Deus

O ajudante de pedreiro foi autuado por homicídio qualificado. Após os procedimentos legais, na unidade policial, será encaminhado à Cadeia Pública - foto: Ana Sena

O ajudante de pedreiro foi autuado por homicídio qualificado. Após os procedimentos legais, na unidade policial, será encaminhado à Cadeia Pública – foto: Ana Sena

O ajudante de pedreiro Fábio Batista do Carmo, 24, conhecido como ‘Junior’, foi apresentado na manhã desta quarta-feira (2), na Delegacia Geral, na Zona Oeste, como o autor da morte do manicuro Mario da Silva Lopes, 30, ocorrido no dia 23 de dezembro de 2015, na rua 4 do bairro Cidade de Deus, Zona Norte da cidade.

Fábio foi preso no dia 28 de fevereiro deste ano, por policiais da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), juntamente com a equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), dentro de um balneário no bairro Cidade Nova, após ser reconhecido por testemunhas.

O rapaz foi levado para a sede da DEHS, onde o delegado titular, Ivo Martins, solicitou o matado de prisão da justiça. O documento foi expedido no dia 29 de fevereiro deste 2015, pelo juiz Mauro Moraes Antony, do Plantão Criminal.

De acordo com Ivo Martins, a vítima, que era homoxexual, foi morta com cinco facadas. No dia do crime, a vítima estava consumindo bebida alcoólica em um bar localizado no bairro Alfredo Nascimento, onde conheceu ‘Junior’ e ficaram bebendo com a proprietária do bar que não teve o nome revelado até amanhecer o dia.

Em depoimento, a proprietária do estabelecimento afirmou que a vítima teria ido embora sozinha e que logo em seguida o suspeito teria ido atrás de Mario.

Ainda conforme o delegado, uma vizinha da vítima, que também não teve o nome revelado, falou que ouviu gritos com pedidos de socorro e resolveu ir até o apartamento do manicuro, para ver o que estava acontecendo. Nesse momento viu ‘Junior’ saindo da casa todo sujo de sangue.

Após ser reconhecido pelas testemunhas, o suspeito confessou o crime e falou que agiu em legitima defesa.

“Nos estávamos no bar e ele me chamou para ir em seu apartamento, que lá iria me apresentar a irmã dele, mas quando chegamos ao local ele tentou me agarrar e me ameaçou com uma faca. Travamos uma luta corporal, consegui pegar e faca dele e o esfaqueei, mas agi em legitima defesa”, disse o suspeito em depoimento.

Segundo a polícia, Fábio já tem passagem pela polícia e estava em liberdade provisória desde 2013, quando foi preso em flagrante por roubo.

O ajudante de pedreiro foi autuado por homicídio qualificado. Após os procedimentos legais, na unidade policial, será encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Por Mara Magalhães

Com informações de Ana Sena

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir