Dia a dia

Ajudante de cargas é morto a tiros por homens em moto, no Colônia Santo Antônio

A perícia esteve no local e disse que a vítima foi alvejada com mais de seis tiros – foto: Josemar Antunes

A perícia esteve no local e disse que a vítima foi alvejada com mais de seis tiros – foto: Josemar Antunes

O ajudante de carga Afonso Moreira Carvalho, 24, foi assassinado a tiros, por volta das 22h30, deste domingo (20), na rua Brenda, bairro Colônia Santo Antônio, Zona Norte de Manaus, por dois homens que estavam em uma motocicleta.

Testemunhas disseram aos policiais militares da 18ª Companhia Interativa de Polícia (DIP), que atenderam ao caso, que Afonso caminhava na rua, quando os dois ocupantes de uma motocicleta, características não identificadas, se aproximaram. O homem que estava na garupa sacou uma arma e efetuou vários disparos em direção á vítima.

Após o crime, a dupla fugiu tomando rumo ignorado pelas ruas do bairro. Afonso foi atingido com mais de seis tiros e morreu no local, sem tempo para receber socorro médico.

Familiares da vítima que foram ao local estavam muito abalados com o crime. A irmã de Afonso, Aline Moreira Colares, 21, informou que desconhece a motivação do assassinato.
“Ele trabalhava e até onde sabemos não tinha envolvimento com o tráfico. Além disso, ele nunca comentou se estava recebendo ameaças”, disse.

Para a polícia, duas versões foram levantadas no início das investigações. A primeira seria a de que o crime foi motivado por vingança, uma vez que a vítima é apontada como autor do assassinato contra um homem, há meses no bairro. A segunda hipótese é de que esteja relacionada a acerto de contas com o tráfico de drogas.

A perita criminal, que preferiu não ter o nome divulgado, informou que mais de seis tiros atingiram a vítima, nas costas, mão direita, rosto e cabeça.

“A princípio, não podemos apontar o número exato de perfurações, e isso só será possível após a necropsia, mas posso adiantar que foram mais de seis”, comentou.

O corpo do homem foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML). A ocorrência foi registrada no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), mas o caso foi repassado para investigação na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEH).

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir