Sem categoria

Agentes de endemias realizam protesto na sede do governo contra demissões

O órgão justifica ainda que, caso não cumpra a determinação do TCE, poderá ser multado devido os agente estarem ligados à instituição de forma irregular - foto: Cecília Siqueira

O órgão justifica ainda que, caso não cumpra a determinação do TCE, poderá ser multado devido os agente estarem ligados à instituição de forma irregular – foto: Cecília Siqueira

Aproximadamente 200 agentes de endemias da Fundação de Vigilância Sanitária do Estado do Amazonas (FVS-AM) realizaram na manhã desta segunda-feira (25) um protesto em frente à sede do governo, na avenida Brasil, Zona Oeste de Manaus.

Segundo o representante da Central Única dos Trabalhadores do Amazonas (CUT-AM), Walter Matos, os trabalhadores protestam contra a demissão de 470 trabalhadores que atuam no interior e na capital.

Conforme Matos, os agentes receberam férias coletivas no dia 4 de abril deste ano e iriam retornar ao trabalho no dia 2 de junho, entretanto, alguns funcionários receberam cartas de desligamento.

“Nós entendemos que a as demissões são injustas e equivocadas. Quando acabar as férias, eles serão mandados embora. A FVS disse que o quadro foi preenchido por processo seletivo e que os demitidos não foram classificados no novo concurso”, contou Matos.

O representante da CUT informou ainda que funcionários admitidos no período anterior a 2007, não poderiam passar por um novo processo seletivo e isso teria acontecido. “Não criaram uma comissão para avaliar quem tinha entrado com um processo anterior, pela rede estadual, federal, municipal, fundação, qualquer um desses. Queremos a efetivação já e nenhuma demissão”, disse.

Alguns agentes informaram ao EM TEMPO Online que trabalham no combate e prevenção da febre chikungunya, dengue, malária, entre outras endemias há mais de 13 anos.  É o caso do agente David Barbosa de Albuquerque que trabalha na BR-174 em tem contato direto com inseticidas.

“Trabalhamos com veneno e tenho colegas que ficaram cegos por conta disso, e agora querem nos demitir? No novo processo, pessoas fizeram 30 pontos, não atuavam antes e foram chamados. Eu fiz 49 pontos e não fui. Algumas pessoas foram classificadas, mas nunca foram chamadas”, comentou.

Walter Matos informou ainda que o governador estava em reunião com o secretário de saúde, mas foi informado que a categoria seria recebida pelo chefe da Casa Civil, Raul Zaidan para conversar sobre o tema.

Irregulares

Em nota, a Secretaria do Estado de Saúde (Susam) informou que serão demitidos 266 agentes de combates a endemias, que são remanescentes de regime temporário, em cumprimento a notificação do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE). Os desligamentos ocorrerão a partir de 1º de junho, sendo que 149 são agentes de Manaus e 117 do interior.

A justificativa para as demissões é de que os agentes estavam irregulares e tiveram de fazer um concurso público da FVS-AM, que foi realizado em 2008, pois, até então, a fundação ainda não havia sido criada.

Ainda de acordo com a nota, “após a criação e funcionamento da instituição, o governo do Amazonas realizou o concurso com a disponibilidade de 1.441 vagas, que tinha entre outras finalidades, regularizar a situação de 1.281 agentes de endemias que já atuavam nas atividades de combate. O resultado final do concurso efetivou aproximadamente 1.395 agentes de endemias, entres eles, os antigos (temporários) e os novos colaboradores”.

Segundo a Susam, os agentes que protestaram são uma parcela dos que não passaram no processo seletivo e que continuavam ligados à FVS-AM devido a uma liminar judicial, que perdeu efeito.

O órgão justifica ainda que, caso não cumpra a determinação do TCE, poderá ser multado devido os agente estarem ligados à instituição de forma irregular.

Por Cecília Siqueira (especial EM TEMPO Online)

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir