Economia

Aeroporto de Manaus melhora índice de satisfação de passageiro

 Conforme a pesquisa, o aeroporto Eduardo Gomes saiu da nota 3,3 para 4,19. O indicador varia entre 1 e 5- foto:divulgação/Fotos públicas


Conforme a pesquisa, o aeroporto Eduardo Gomes saiu da nota 3,3 para 4,19. O indicador varia entre 1 e 5- foto:divulgação/Fotos públicas

O resultado da Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, que mede a satisfação dos passageiros em relação a 15 grandes aeroportos do país, aponta evolução na avaliação dos passageiros em relação ao aeroporto internacional Eduardo Gomes. De acordo com a pesquisa apresentada pelo ministro da Secretaria de Aviação Civil, Guilherme Ramalho, no último trimestre de 2015, o Eduardo Gomes saiu da nota 3,3 para 4,19.

Entre os indicadores que puxaram para cima a avaliação estão o tempo de fila no check-in, especificamente no autoatendimento, teve registrou 30% de eficiência. Os valores dos produtos comercializados no Eduardo Gomes também foram medidos positivamente. O aeroporto de Manaus tem capacidade para atender até 9 milhões de passageiros ao ano e se destaca também pelo conforto no embarque e desembarque.

Conforme a pesquisa, no último trimestre de 2015, 85% dos entrevistados consideraram “bom” ou “muito bom” os 15 aeroportos avaliados. Juntos, os terminais movimentam 80% dos passageiros do país. O aeroporto de Curitiba foi o melhor avaliado pelos passageiros no período. O de Cuiabá teve o pior índice de satisfação. A pesquisa é divulgada pela secretaria a cada três meses. Foram entrevistadas 13,2 mil pessoas entre os meses de outubro e dezembro.

As notas atribuídas na pesquisa variam entre 1 e 5. O aeroporto de Manaus teve nota 4,19. O aeroporto da Curitiba teve nota 4,52 e o de Cuiabá, 3,36. Após Curitiba, os terminais com melhores notas são os de Campinas e Guarulhos, em São Paulo, e Recife.

Além de Cuiabá, os terminais do Galeão, no Rio de Janeiro, e o de Salvador ficaram com notas abaixo de quatro, que é o patamar considerado satisfatório pela secretaria. O ministro Guilherme Ramalho disse que, em alguns casos, as piores avaliações coincidem com períodos de obras nos terminais.

“Passada a Copa do Mundo, com as obras entregues, estamos numa trajetória de evolução muito boa de satisfação do passageiro. Entendemos que ela está ligada, sim, ao aumento da oferta de infraestrutura, ao aumento da quantidade de serviços e de comodidade oferecidas nos aeroportos”, afirmou o ministro da Aviação, Guilherme Ramalho.

Wi-fi

A pesquisa avaliou 48 indicadores de infraestrutura dos aeroportos, entre eles gestão e serviços, disponibilidade de tomadas, wi-fi, assentos na área de embarque e informações nas esteiras de bagagem. A exemplo do que tem ocorrido nas últimas pesquisas, os serviços de tecnologia estão abaixo das expectativas dos passageiros.
A qualidade do wi-fi disponível foi avaliada como “ruim” ou “muito ruim” nos 15 aeroportos pesquisados. A disponibilidade de tomadas teve nota superior a 4 apenas nos terminais de Fortaleza e Viracopos, em Campinas (SP). O indicador com maior média (4,64) entre os 15 aeroportos foi referente ao tempo de fila no check-in.

A Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro completou 3 anos e o balanço do período mostra que tem ocorrido constante evolução na avaliação dos aeroportos. No início, apenas cinco aeroportos (Fortaleza, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Congonhas) alcançavam nota cima de 4. Nesta última pesquisa, 12 dos 15 terminais tiveram notas acima de 4.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir