Sem categoria

Adrino Aragão lança obra ‘Tempo Fraturado’ hoje

Lançamento acontece às 18h30, desta terça - foto: divulgação

Lançamento acontece às 18h30, desta terça – foto: divulgação

Escritor amazonense e contista com mais de 40 anos de carreira, Adrino Aragão, lança   nesta quarta-feira (21) , na livraria Valer (avenida Ramos Ferreira, 1195, Centro), o livro minimalista intitulado “Tempo Fraturado”, que contextualiza fragmentos de sua vida na capital do Amazonas.

Desde sua primeira obra, lançada em 1972, o autor já acumula 11 livros que foram lançados em várias cidades do país. Em Manaus, a obra “Tempo Fraturado” é o quarto lançamento feito pelo escritor. Sempre com contos e não contos, que usam a linguagem minimalista e retratam o cotidiano e lendas caboclas, o artista diverte e induz o leitor à curiosidade de saber mais sobre as frases.

De acordo com o escritor, o significado do título “Tempo Fraturado” é a unificação do tempo e dos fragmentos das recordações de infância que foram vividos em Manaus, contextualizando as histórias por meio de seus textos que trazem uma literatura clara e concisa, para que dessa forma o leitor tenha êxito em suas curiosidades, obtendo as respostas. “O minimalismo nada mais é do que palavras corridas, simples, mas que tem muito a dizer, ou seja, é a partir de três linhas que damos asas à imaginação”, ressalta o escritor.

Considerado percussor da mudança da estrutura do conto e um dos inventores do método minimalista na linguagem do conto, Adrino Aragão traz mini nesta nova produção poemas em forma de “haiku” que representam ideias soltas, narrativas sentimentais, que mostram a transição entre o fantástico e o real, explorando diversos espaços para aplicação da metalinguagem do “se fazer poeta”.

O escritor reforçar ainda a ideia de que suas obras tem um ingrediente especial, além da contextualização e a objetividade, o sentimento é um dos maiores aliados para o sucesso com as palavras. “Ninguém escreve nada sem sentimento. As pessoas que confundem o sentimento com outras ânsias e desejos. O texto precisa de sentimento para ganhar corpo e se auto-contextualizar”, pontua Aragão.

Considerado um dos membros da terceira geração do Clube da Madrugada, Adrino Aragão considera que literatura é texto. Como ele mesmo diz: “ou você tem ou você não tem texto”. A partir disso, as podem contextualizar criar e dar vida ao texto que quiser. “A isso damos o nome de imaginação, pois todo texto é imaginação”, filosofa.

Atualmente, o escritor mora em Brasília. É aposentado, viúvo e viaja por diversos países em busca de inspiração para obras futuras, sempre com o emprego dessa linguagem minimalista, explorando objetividade e clareza para diversos públicos.

Por Mairkon Castro

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir