Mundo

Adolescente brasileira é mantida em abrigo para imigrantes ilegais nos EUA

A garota iria se encontrar com uma amiga nos EUA e, de lá, voltariam juntas para Palmas - foto: divulgação

A garota iria se encontrar com uma amiga nos EUA e, de lá, voltariam juntas para Palmas – foto: divulgação

Uma brasileira de Tocantins, de 17 anos, está sendo mantida num abrigo para imigrantes ilegais em Chicago (EUA), após tentar entrar nos Estados Unidos para uma viagem de turismo com destino a Boston (Massachusetts), segundo a família.

De acordo com a mãe da adolescente, a filha foi parada pela imigração na conexão em Detroit, em 17 de abril. Durante a entrevista em solo americano, a mãe contou que a adolescente disse à imigração que o motivo da viagem seria para praticar o inglês. Como não tinha visto de estudante, foi detida.

A garota iria se encontrar com uma amiga nos EUA e, de lá, voltariam juntas para Palmas.

A imigração americana fez contato com a mãe da adolescente colhendo informações sobre a viagem da menina. Depois, a própria adolescente telefonou para a mãe e contou que estava assustada. Segundo a mãe, a filha acreditava estar havendo algum erro de comunicação.

Segundo a mãe, a imigração dava a entender que a garota foi aos EUA para se encontrar com algum homem, que poderia ter algo haver com prostituição.

Depois da conversa com a filha, a mãe entrou em contato com o consulado brasileiro para tentar entender o que tinha acontecido. Segundo ela, a filha estava desesperada e chorava muito.

Pijama do abrigo

Na segunda conversa, gravada pela mãe, a adolescente relatou que estava num quarto com mais três garotas e que a maioria das internas do local fala espanhol. Ela também contou que usa o uniforme do abrigo que, segundo ela, parece um pijama.

De acordo com a mãe, a filha diz que a comida não é ruim e que o abrigo projeta filmes para as meninas à noite. Uma representante do consulado brasileiro foi ao abrigo e levou alguns livros e revistas para ela, mas o material teria sido confiscado pela direção do local.

A mãe está de passagem comprada para os Estados Unidos esperando uma orientação do consulado brasileiro para decidir o que fazer.

Em nota, o Itamaraty informou que o Consulado do Brasil em Chicago está acompanhando o caso e está em contato com os pais da adolescente.

Ainda de acordo com a nota, caso a mãe decida viajar para os Estados Unidos para dar entrada de pedido de liberação da filha, sob custódia, a menor deverá permanecer no país até que seu caso seja concluído pela imigração. “O Consulado do Brasil em Chicago acompanhará o tema e prestará a devida assistência à mãe”, informou.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir