Esportes

Adidas assume ideia da camisa retrô do Palmeiras e lamenta transtorno

 

Motivo de polêmica entre Palmeiras e Leila Pereira, proprietária da Crefisa e da FAM, duas principais patrocinadoras do clube, a camisa retrô inspirada nos uniformes dos anos 1990 e que teria estampada a marca Parmalat (patrocinadora da época) foi ideia da Adidas. É o que afirmou em nota nesta segunda-feira (16) a fornecedora de material esportivo do clube, lamentando o imbróglio.


“A Adidas esclarece que a proposta da camisa retrô, inspirada nos uniformes da Sociedade Esportiva Palmeiras do início da década de 90 (com patrocínio da Parmalat), partiu da empresa, para eventualmente ser implementada, somente caso o clube e seus demais patrocinadores estivessem totalmente de acordo, assim como são feitos todos os processos de aprovação de produtos entre Adidas e o clube”, inicia a nota.
“A Adidas jamais teve intenção de causar qualquer transtorno entre o clube e seus patrocinadores. Com uma das parcerias mais profissionais e bem-sucedidas do futebol brasileiro, Adidas e Palmeiras sempre prezam pela inovação, respeito e pelo serviço aos torcedores. Foram propostas ousadas e inovadoras que possibilitaram a criação de produtos como a camisa verde limão, a amarela e a azul com a Cruz de Savóia.
Reforçamos ainda a postura do presidente Paulo Nobre, que sempre preza pela relação clube e patrocinadores, procurando sempre conciliar os interesses de cada um”, conclui.
Incomodada com a possibilidade de lançamento de uma camisa com o nome de um patrocinador que não fosse a Crefisa ou a FAM, Pereira deu entrevista ao jornal “Lance!” na sexta (13) fazendo duras críticas a Nobre, e ameaçando romper contrato com o clube.
“Eu recebi hoje um e-mail do (Marcelo) Puggina [assessor especial do Palmeiras], que é o porta-voz do Paulo, dizendo que a Adidas procurou o Palmeiras para fazer uma edição limitada da camisa da Parmalat, e iria estampar a marca da Parmalat. Isso é uma falta de lealdade, falta de escrúpulo com o patrocinador, é motivo para rescisão de contrato.

O patrocinador máster é a FAM e a Crefisa, investimos quase R$ 100 milhões no Palmeiras, estamos reformando a Academia [CT do clube] agora e o Nobre vem com essa proposta indecente? Acham que a gente é trouxa?”, disse.
“Para continuar assim, eu largo o Palmeiras e vou para o Flamengo, que dá muito mais visibilidade”, emendou, para concluir com críticas ao time montado.
“Não vamos aceitar. Se a Adidas lançar qualquer camisa que não seja com o atual patrocinador, o contrato da Crefisa e FAM com o Palmeiras estará rompido. Onde ele (Nobre) vai achar um patrocinador para fazer as contratações de quinta categoria que ele fez?”.
Após a repercussão, o Palmeiras anunciou em nota que vetou a produção da camisa.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir