Dia a dia

Adeus à grávida morta em atropelamento no Japiim é marcado por comoção

O velório aconteceu na casa onde morava a vítima, no bairro São José 2 - fotos: Janailton Falcão

O velório aconteceu na casa onde morava a vítima, no bairro São José 2 – fotos: Janailton Falcão

Apelo por justiça e muita comoção entre amigos e familiares marcaram o adeus à assistência social Alessandra Solart Amorim, 24, na manhã deste sábado (15). Grávida de seis meses, ela foi vítima de um brutal atropelamento na madrugada desta sexta-feira (14), por volta das 5h50, na avenida General Rodrigo Otávio, bairro Japiim, Zona Sul de Manaus.

Durante o velório, na casa onde morava, na rua 15, bairro São José 2 – Etapa B, amigos e familiares de Alessandra prestavam suas homenagens com cânticos de louvor. A vítima estava abraçada junto ao bebê no caixão. Ela deixou uma outra criança de apenas dois anos.

“A gente espera que as autoridades não deixem esse crime em pune, pois ela era uma pessoa que sempre estava atenta a tudo e seguia as regras de trânsito como ninguém”, disse um amigo.

O esposo de Alessandra, Nonato Amorim, 36, muito abalado, disse que espera por Justiça e que o condutor que tirou a vida de sua mulher pague pelo crime que cometeu no trânsito. “Se quer beber, que beba em casa, não vá saindo na rua como um louco tirando vidas de pessoas inocentes”.

Norberto Duarte, 51, amigo da vítima, informou que os amigos e familiares pretendem realizar um movimento em prol da segurança no trânsito da capital. “Vamos nos reunir com familiares de outras vítimas de trânsito e chamar atenção das autoridades para a mudança das leis do país. Não podemos conviver com pessoas criminosas ao volante soltas pelas ruas”, argumentou Duarte.

Alessandra deixou uma filha de apenas 2 anos

Alessandra deixou uma filha de apenas 2 anos

O acidente

Na ocasião do acidente, Alessandra e seu irmão, Jorge Adriane Solart Rodrigues, 31, atravessavam a faixa de pedestres quando foram atingidos por um Palio de cor prata, placa JXI-6717, conduzido por Gleidson Sena Amaral, 27.

Segundo a família, Alessandra seguia para o Hospital e Maternidade Santo Alberto para realizar exames de rotina do neonatal. A jovem foi arrastada por cerca de 50 metros e ficou presa embaixo do carro, vindo a óbito na hora.

O irmão também foi atingido e ficou gravemente ferido, sendo socorrido pelo Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu).

Internado no Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio, na Zona Leste, Jorge Adriane inspira cuidados e segue na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), segundo informou a direção da unidade.

Sepultamento

O sepultamento de Alessandra foi realizado na tarde de sábado (15) no Cemitério Parque Tarumã, situado na Zona Oeste da cidade.

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir