Dia a dia

Acordo entre UEA e instituto americano vai beneficiar alunas em dissertação e teses

Inicialmente cem alunos serão beneficiados, assim como dez docentes que terão envolvimento direto com o programa - foto: divulgação

Inicialmente cem alunos serão beneficiados, assim como dez docentes que terão envolvimento direto com o programa – foto: divulgação

Um acordo de cooperação técnica foi assinado na manhã desta sexta-feira (15) entre a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e o Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech). A parceria beneficiará aproximadamente cem alunos em intercâmbios, para projetos de produção científica. A solenidade ocorreu por volta das 9h, na sede da reitoria da UEA, localizada na avenida Djalma Batista, bairro Flores, Zona Centro-Sul da capital amazonense.

Com investimento de R$ 10 milhões para os próximos quatro anos, a perspectiva do acordo é de que os envolvidos tenham a oportunidade de desenvolver dissertação de mestrado e teses de doutorado no Caltech em curto espaços de tempo. Inicialmente cem alunos serão beneficiados, assim como dez docentes que terão envolvimento direto com o programa.

O Reitor da UEA, Cleinaldo Costa, comentou que a parceria servirá para trazer para a região, a oportunidade de tornar nos próximos dez anos, uma potência regional em ciência, tecnologia e informação.

“É uma parceria de enorme importância para o Estado do Amazonas e para Universidade do Estado do Amazonas (UEA), na medida que teremos mobilidade de professores e alunos de ambas instituições e a oportunidade de projetos de pesquisa e o fortalecimento de um laboratório de instrumentação de partículas na região que irá gerar ciência básica e ciência aplicada que terá aplicação na indústria em diversas áreas como também na medicina nuclear”, explicou.

Conforme dados do Times Higher Education World University Rankings, o Instituto de Tecnologia da Califórnia Caltech é considerado pelo 4º ano consecutivo, a melhor universidade do mundo. Posteriormente, a UEA pretende também celebrar parceria em breve com o laboratório do Departamento de Energia dos Estados Unidos – Fermi National Accelerator Laboratory (Fermilab).

Vindo dos Estados Unidos, o coordenador do Caltech, Harvey Newman, explicou sobre a importância da parceria. “Após uma longa cooperação com o professor Santoro (Alberto Santoro – coordenador dos projetos de física experimental da UEA), pensamos em fomentar a ciência na UEA. Basicamente o acordo está dividido em três partes, o desenvolvimento da ciência, a inovação e a educação”, ressaltou.

Por Luis Henrique Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir