Economia

Acordo entre Brasil e China deve gerar aporte de US$ 1 bi em inovação, no AM

Acordos entre o Brasil e a China beneficiarão o Estado do Amazonas com projetos na ordem de US$ 1 bilhão para a área de ciência, tecnologia e inovação. A afirmação é do governador do Amazonas, José Melo.

Ele participou, nesta terça (19), em Brasília, da solenidade onde o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, e a presidente Dilma Rousseff assinaram o chamado Plano de Ação Conjunta 2015-2021, formado por 35 acordos de cooperação e comércio bilaterais, os quais somam aproximadamente US$ 53 bilhões.

“Eu vejo com muita alegria, sobretudo os acordos que visam o monitoramento da Amazônia. Nós do Amazonas consideramos as nossas riquezas regionais a joia da coroa brasileira, sempre procurando explorar essas riquezas de forma sustentável. Para isso, é preciso ter o monitoramento adequado. Outro aspecto que achei importante também foram os acordos assinados voltados para a área de ciência e tecnologia que abrirão um horizonte para o Brasil de poder acessar as tecnologias de ponta que a China tem em vários campos e um deles é a questão da biotecnologia”, afirmou o governador.

José Melo ressaltou a importância da captação dos investimentos por parte do governo brasileiro nesse momento de crise.

“Esses recursos e cooperações técnicas são muito importantes. O Brasil passa por um momento de ajuste para que a economia internacional possa voltar novamente com os investimentos necessárias. Vão ser injeções fundamentais na nossa economia, prevendo um horizonte de crescimento para os próximos anos”, declarou.

Projetos estratégicos

Para o Amazonas, o governador destacou ainda que, além dos acordos bilaterais Brasil e China, o Estado será beneficiado com a parceria dos governos chinês e amazonense para projetos estratégicos.

Nesta quinta-feira (21), José Melo vai assinar em Manaus um protocolo de intenções com o governo chinês que irá permitir financiamento para projetos do Governo Estadual, entre eles a continuidade da construção do campus da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), obras de duplicação da rodovia AM-010 (Manaus-Itacoatiara) e o incentivo à criação e produção de peixes em cativeiro.

No Plano de Ação Conjunta 2015-2021 os governos do Brasil e da China assinaram acordos no valor de cerca de US$ 53 bilhões, que envolvem uma série de projetos de investimentos nas áreas de energia, mineração, construção de infraestruturas e manufaturas.

Entre os projetos estão um acordo entre a Caixa Econômica Federal e o Banco Industrial e Comercial da China que criará um fundo de US$ 50 bilhões para o fortalecimento de opções de financiamento para projetos de infraestrutura no país; acordo de cooperação de desenvolvimento com crédito de US$ 10 bilhões para a Petrobras para atividades do pré-sal; e acordo para estudos de viabilidade da ferrovia transcontinental.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir