Dia a dia

Ações integradas de combate ao tráfico de drogas e homicídios serão mais frequentes, diz SSP-AM

Trinta órgãos estaduais, municipais e federais estão atuando no combate à criminalidade - foto: divulgação

Trinta órgãos estaduais, municipais e federais estão atuando no combate à criminalidade – foto: divulgação

As ações integradas de combate ao tráfico de drogas e homicídios no Amazonas serão mais frequentes com a criação do Comitê Integrado de Segurança Pública do Estado do Amazonas (CISP-AM), instituído nesta quinta-feira (17), reunindo mais de 30 órgãos estaduais, municipais e federais, no Centro Integrado de Comando e Controle do Amazonas (CICC-AM), no Aleixo, zona Centro-Sul.

Durante a primeira reunião, o coordenador do Comitê, o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, destacou que a quantidade de drogas apreendida neste ano, cerca de 6,8 toneladas, supera a soma das apreensões registradas nos últimos quatro anos.

Ele destacou que a integração das ações irá intensificar esse combate. “A consequência do combate ao tráfico foi o aumento dos homicídios e de crimes de oportunidades como os furtos e roubos”, destacou.

Durante a reunião, o secretário também informou sobre o avanço das investigações dos 37 homicídios registrados entre os dias 17 a 20 de julho deste ano. Ele destacou que os casos estão sendo investigados pela Força Tarefa, que reúne diversos órgãos dentre eles a Polícia Federal e Ministério Público do Estado (MPE) e por Delegacias Especializas e Distritos Integrados de Polícia (DIP’s) da Polícia Civil.

Sérgio Fontes explicou que dos 37 homicídios, 14 casos foram considerados crimes sem ligação e por isso foram encaminhados para serem investigados pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Outros três crimes, dentre eles do sargento Camacho, foram considerados latrocínios e investigados pela Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD).

Houve ainda um encontro de cadáver que foi encontrado naquele final de semana, e mais dois casos estão sendo investigados por Distritos Integrados de Polícia (DIP’s).

Segundo o secretário, os outros 17 casos estão sendo investigados pela Força-Tarefa, já que existe a suspeita de que se tratam dos crimes orquestrados. “São crimes complexos e existe a dificuldade com testemunhas, já que os locais onde ocorreram são regiões onde normalmente não tem acesso a câmeras”, disse.

De acordo com o secretário, as investigações estão avançadas. Ele ressaltou que dos 37 casos, sete já foram solucionados pela DEHS, um caso na DERFD e dois nos DIP’s já foram concluídos. No total, 11 já possuem autoria identificada.

Comitê

Participaram da reunião representantes dos órgãos de segurança das forças estaduais (Polícias Civil e Militar, Detran-AM e Corpo de Bombeiros), Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Receita Federal, Agência Nacional de Aviação, Alfândega do Porto de Manaus, Tribunal de Justiça do Amazonas e outros.

De acordo com o secretário Sérgio Fontes, a criação do comitê coloca o Amazonas como um dos únicos estados do País a adotar ações integradas com todas as esferas de governo (Estadual, Municipal e Federal). “A ideia é somar todos os esforços para que possamos fortalecer a nossa política de Segurança e combater com eficiência os crimes que mais tem afetado a nossa sociedade como o tráfico de drogas, homicídios e outros”, disse.

Ele destacou que no âmbito do Município e Estado, as operações integradas, como Operações ‘Pescador’ e ‘Centro Seguro’ já vêm apresentando ótimos resultados. “Estamos ampliando a nossa estrutura e integração agora com os órgãos federais com a criação desse Comitê. A operação que realizamos ontem, por exemplo, no Centro, só foi possível com a união de todos os órgãos”, disse.

A Portaria n°0242/2015 da SSP-AM disciplina a criação do Comitê, que é coordenado pelo secretário de Segurança Pública. Conforme a portaria, o comitê tem por finalidade promover o intercâmbio de informações entre os órgãos integrantes; identificar necessidades de Segurança Pública, Defesa Civil, e Mobilidade Urbana para o Estado; promover as discussões com foco nas propostas de solução e dar encaminhamentos necessários; promover  o intercâmbio de informações entre os integrantes  e a integração das atividades de Segurança Pública, Defesa Nacional e Inteligência.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir