Dia a dia

Acareação dos pais que jogaram bebê no rio será realizada nesta quinta-feira

As versões dos suspeitos serão confrontadas, já que em outras ocasiões Martins afirmou que os depoimentos de ambos eram “fantasiosos” - foto: Janailton Falcão

As versões dos suspeitos serão confrontadas, já que em outras ocasiões Martins afirmou que os depoimentos de ambos eram “fantasiosos” – foto: Janailton Falcão

O titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS), delegado Ivo Martins, realiza nesta quinta-feira (27), a partir das 9h, a acareação entre Cleudes Maria Batista de Moraes, 22 e o canoeiro Josias de Oliveira Alves, 30, pais bebê Pablo Pietro, de 4 meses de idade, que supostamente foi jogado no rio Negro por um dos responsáveis, no dia 14 deste mês.

Questionado se a mãe da criança poderia ser presa ou indiciada como co-autora da possível morte do bebê, o delegado não confirmou ou negou, mas deixou a hipótese no ar. “Não sei o que vai acontecer amanhã. Só que tudo vai depender do que será contado e esclarecido na acareação”, desconversou o delegado.

As versões dos suspeitos serão confrontadas, já que em outras ocasiões Martins afirmou que os depoimentos de ambos eram “fantasiosos” e até “mentirosos sobre as circunstâncias em que o bebê teria sido atirado nas águas do rio Negro.

A mãe do bebê, Cleudes Maria, afirma que Josias, que está preso devido a cumprimento de mandado de prisão temporária, teria atraído-a na noite do último dia 14 para uma canoa com a promessa de que a levaria para receber uma parcela da pensão alimentícia no flutuante onde ele trabalhava.

Segundo Cleudes, no meio do rio, o suspeito teria tentado enforcá-la com uma corda, mas ela conseguiu se desvencilhar. Logo em seguida, o canoeiro teria tirado a criança do colo da mãe e jogado no Rio Negro.

A mãe do bebê contou ainda que mergulhou no rio atrás do bebê e Josias teria tentado acertá-la com a hélice da embarcação. Ela disse ainda que seguiu nadando até o porto de São Raimundo, Zona Oeste, onde foi acudida por populares e levada à delegacia.

Porém, na última sexta-feira ao se apresentar à polícia, Josias disse que a mãe foi quem jogou a criança no rio. Em seguida, ele teria pego o bebê da água, mas recebeu uma remada na cabeça, e depois foi ameaçado com uma faca pela Cleude. O canoeiro disse ainda que em seguida a mãe arremessou a criança no rio.

Por Cecília Siqueira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir