Economia

Academias clandestinas proliferam em Manaus

Falta de profissional de educação física habilitado, equipamentos sem condições de uso e ausência de registro junto ao Cref8 são as principais irregularidades apontadas pela entidade – foto: Alberto César Araújo

Falta de profissional de educação física habilitado, equipamentos sem condições de uso e ausência de registro junto ao Cref8 são as principais irregularidades apontadas pela entidade – foto: Alberto César Araújo

Quem busca manter a forma com um “corpo sarado” precisa ficar atento na hora de escolher, em Manaus, o local que vai malhar. Aproximadamente 60% das academias situadas na capital amazonense são clandestinas e oferecem perigo para a saúde da população.

De acordo com dados do Conselho Regional de Educação Física (Cref), só no primeiro semestre do ano, foram autuadas mais de 370 academias clandestinas na cidade. Esse número representa mais da metade do número de academias cadastradas legalmente na entidade.

Segundo o Cref, a maioria das atuações se deve pela falta do profissional de educação física com registro habilitado. Para o presidente regional do Cref, Jean Carlo Azevedo, o aumento no número de academias em Manaus, entre regulares e irregulares, ocorre em função da procura por uma qualidade de vida melhor por meio do esporte. “Nos últimos anos, a divulgação massiva nos canais de televisão e nas redes sociais contribuiu para esse aumento tanto de academias como em adeptos a essa prática esportiva”, afirma.

Conforme o Cref, pelo menos 20 academias clandestinas foram interditas, neste ano, por não possuírem condições de funcionar e outras dez foram denunciadas ao Ministério Público Estadual (MPE-AM) pela pratica ilegal da profissão.

Em uma das academias clandestinas visitadas pelo EM TEMPO, na Zona Centro-Sul, os aparelhos usados para fazer a musculação estão enferrujados e oferecem perigo para a saúde dos frequentadores do local. Os proprietários não quiseram se identificar, mas afirmaram que a procura é grande no estabelecimento, onde os aparelhos dividem espaços com sucatas e até um fogão.

De acordo com dados do Cref, o preço das mensalidades cobradas nas academias da capital, atualmente, fica entre R$ 100 e R$ 150, dependendo dos serviços oferecidos e da estrutura dos empreendimentos.

 

Crescimento

Conforme o conselheiro federal de Educação Física, Tharcísio Anchieta, o mercado de fitness tem crescido no Brasil, que é o segundo país no ranking do mundo, atrás somente dos Estados Unidos em número de academias.

 

Conselho tenta evitar informalidade

A proliferação das academias em Manaus aumentou a informalidade, com estabelecimentos funcionando sem as condições estruturais e, por vezes, até mesmo sanitárias. Nos últimos anos, além das autuações, o Cref chegou a lacrar, definitivamente, quatro academias que estavam irregulares na cidade.

De acordo com informações do Cref, as infrações vão desde as mais simples, como o registro profissional desatualizado dos instrutores, até as mais graves, como o exercício ilegal da profissão e a utilização de equipamentos caseiros para as práticas dos exercícios.

Dicas

O presidente do Cref alerta que, ao escolher uma academia, o cliente deve exigir o registro do profissional na entidade, além de verificar junto a Secretaria Municipal de Finanças (Semef) a licença de funcionamento do estabelecimento, assim como as condições do local. “Fazemos campanhas educativas sobre a responsabilidade que as academias possuem sob a saúde das pessoas”, diz Jean Azevedo.

 

Por Mairkon Castro

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir