Dia a dia

‘Abril Marrom’ para prevenção da cegueira

Especialistas destacam que a educação é o melhor caminho para prevenir a cegueira – Divulgação

Mais de 250 mil pessoas em todo o Amazonas possuem algum tipo de deficiência visual, seja por catarata, glaucoma ou outra doença, conforme os dados da Associação de Deficientes Visuais do Amazonas (Advam), representando 6,2% da população amazonense.

No mês de abril é comemorado o “Abril Marrom” em combate às doenças que provocam cegueira, como a sífilis, hanseníase e diabete. A diretora do departamento de atenção primária da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Kássia Veras, destaca que o órgão tem como responsabilidade prevenir, promover, proteger, tratar e reabilitar as condições de saúde da população.

“Dessas doenças existem, no nosso banco de dados da capital, 24.510 casos de diabetes, 1.489 adultos portadores de sífilis e 77 casos de hanseníase. Vale ressaltar que desses dados não são todos que possuem deficiência visual, e sim a contagem de portadores que temos registrado por cada doença”, ressaltou.

A diretora afirma que o tratamento é sempre necessário. “Tudo começa na questão do cuidar de si e procurar o médico regularmente. Nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), por exemplo, existe o teste básico, que é feito por um enfermeiro para saber se a pessoa possui sífilis. Já com os casos de diabetes, fazemos campanhas periódicas de atenção e cuidados, principalmente na alimentação”, disse Kássia Veras.

Em relação aos deficientes visuais existentes no Estado, a vice-presidente da Advam, Ingride Alves de Mendonça, informou que a associação conta hoje com 2 mil membros. “Atuamos com a promoção da acessibilidade para deficientes visuais, curso de braile básico e informática adaptada”, disse.

Segundo o presidente da Sociedade de Oftalmologia do Amazonas, o médico oftalmologista Mauro Brandão, a melhor maneira de combater a doença é por meio da prevenção. “Ir ao oftalmologista regularmente, fazer os exames com periodicidade. Os pais devem estar atentos ao comportamento das crianças diante do celular, tablets, computador e televisão. É de suma importância que se realize o teste do olhinho nos primeiros dias de vida, para que seja feito diagnostico com antecedência”, disse.

Bábara Costa
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir