Dia a dia

Abrigo para animais pode não sair do papel devido a falta de recursos

As políticas públicas voltadas para animais em Manaus, ainda são muito pequenas, mediante ao grande volume abandonado nas ruas – Foto: Ione Moreno

As políticas públicas voltadas para animais em Manaus, ainda são muito pequenas, mediante ao grande volume abandonado nas ruas – Foto: Ione Moreno

A implantação de um abrigo municipal para animais, conforme prevê a indicação 028/2015,  de autoria do vereador Everaldo Farias (PV) à Prefeitura Municipal de Manaus (PMM), deve esbarrar na falta de recursos para a sua implantação, de acordo com informações do Legislativo municipal. O corte na verba destinada às políticas públicas do município, devido à crise econômica, pode inviabilizar o sonho de anos de algumas Organizações Não Governamentais (ONGs), dedicadas à luta contra o abandono de animais domésticos nas ruas. Conforme o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), até o ano passado, havia em Manaus aproximadamente 80 mil animais abandonados.

A indicação foi aprovada pela mesa diretora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), no ano passado, e enviada para a apreciação do prefeito Arthur Neto (PSDB). A referida indicação, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), será analisada pela Prefeitura para a efetiva implantação, pois a obra precisa entrar no orçamento da máquina pública, para que o abrigo seja construído. Entretanto, diante da queda da arrecadação, a indicação 028/2015 pode ser vetada de forma imediata. O órgão ressalta que todos os projetos para animais são vistos com bons olhos, e a prefeitura já implantou dois centros móveis de castração e chipagem de animais e faz o possível para contemplar as demandas. Mas, com a redução no orçamento, neste momento, o projeto pode ser inviável.

Prioridades

Para a coordenadora da ONG Proteção, Adoção e Tratamento Animal (Pata), Joana Darc Cordeiro, a iniciativa do vereador em criar um lar é louvável, mas deve ser analisada com cautela, para que futuramente, os próprios animais não venham a sofrer com maus-tratos, em virtude da falta de recursos. Ela destaca que, primeiramente, as políticas públicas básicas devem ser colocadas como prioridade.

“Lógico que é um projeto bom, mas o que nos preocupa é como será feita a manutenção desse abrigo, uma vez que o município não vem investindo nas ações que requer menos recursos. Na minha opinião, deve ser dado um passo de cada vez, para que os animais não sejam depositados em um ambiente deficiente. É um avanço? Com certeza, mas outras atividades podem ser feitas antes da implantação do lar para controlar a população animal”, avalia.

Joana ressalta também que a criação de um abrigo público para animais pode ocasionar ainda o aumento de abandono. Segundo ela, este é um assunto complicado que não pode ser resolvido somente pelos poderes públicos.

“A hora é de investir na castração dos animais para controlar a população. Não basta pensar com o coração. Neste momento precisamos agir com a razão. Um abrigo pode gerar tantos resultados positivos como negativos. As pessoas podem usar esse lar como uma ferramenta para o incentivo ao abandono, isso não seria confortável para nós que lutamos por melhor qualidade de vida para os nossos animais. Precisamos rever a política pública que não está sendo eficaz”, pontua.

Parcerias contribuem com projeto

“Manaus é a maior cidade da Região Norte, porém com pouquíssimas políticas públicas voltadas aos animais. É necessário que nós tenhamos um abrigo municipal, para que possa receber esses animais. Se houver criatividade e força de vontade, esse projeto importante para a cidade dará certo. Esperamos que até o próximo mês a prefeitura apresente seu parecer”, informa o vereador Everaldo Farias, autor da proposta.

Segundo ele, o projeto tem como finalidade recolher centenas de animais de diversas espécies, abandonados pelas ruas da capital e desafogar a demanda do CCZ. Ele também destaca que a proposta pretende diminuir os riscos de transmissão de doenças.

A ideia, explica o parlamentar surgiu logo após o início do seu mandato em 2013, ao perceber que as políticas públicas voltadas para os animais em Manaus, são muito pequenas, mediante ao grande volume de animais abandonados nas ruas.

Para Farias, Manaus precisa de um abrigo municipal que possa criar um sistema de acolhimento dos animais que estão abandonados pelas feiras e em outros locais. Um dos objetivos do projeto é recolher e tornar os animais saudáveis para a adoção. “Ao chegar no abrigo, o animal terá todo o atendimento necessário. O trabalho será feito desde a triagem, vacinação, castração até a limpeza. Não queremos criar um deposito de bicho, queremos torná-los saudáveis para que a sociedade os adote”, observa.

Questionado sobre a posição da prefeitura, o vereador diz acreditar que o projeto não sofrerá as consequências da crise econômica, esbarrando no corte de verbas. Segundo Everaldo, os recursos voltados para atendimento animal estão previstos no orçamento federal, não apresentando qualquer despesa para o município. “O que toca o município seria apenas o local apropriado e os profissionais que já são concursados e estão no quadro da Secretaria de Saúde. Quanto à manutenção, existem várias maneiras de viabilizar o projeto. Uma delas seria os convênios firmados com faculdades, uma vez que os universitários de medicina veterinária precisam de estágio, e este setor em Manaus, ainda sofre com a deficiência de vagas”.

O vereador ressalta que antes de apresentar a proposta, debateu o assunto com diversos representantes de ONGs atuantes na causa, para definir qual a melhor forma de tratamento aos animais recolhidos nas ruas.

Por Gerson Freitas

3 Comments
Subir