Dia a dia

‘Abelhas assassinas’ são as que mais atacam no Amazonas

               As ferroadas das abelhas podem ser prejudiciais à saúde do ser humano – Foto: Ione Moreno

Ao menos 52 acidentes com enxames de abelhas africanizadas foram registrados no Amazonas entre os anos de 2014 até maio de 2017, de acordo com levantamento realizado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS–AM). Especialistas afirmam que as ferroadas das abelhas podem ser prejudiciais à saúde do ser humano, tanto quanto a picada de escorpiões ou aranhas.

O período de verão amazônico traz consigo alguns percalços, além do intenso calor, a população precisa ficar atenta quanto aos perigos que as casas de abelhas podem ocasionar. O biólogo e mestre em agricultura do trópico úmido do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Hélio Vilas Boas, explica que os maiores incidentes ocorrem em tempos quentes, cheia dos rios e que as espécies perigosas são as africanizadas.

“A Apis Mellifera como é conhecida cientificamente, a abelha africana possui ferrão e toxina. No Brasil, foram catalogadas sete espécies. As abelhas nativas não possuem ferrão e nem são venenosas. Quanto as abelhas africanas esse período é quando elas encontram bastante alimentos, fortalecem a abelha rainha e aumenta a população do inseto”, disse o pesquisador.

Cuidados

O vice-presidente da Associação de Criadores de Abelhas do Amazonas (Acam), Sergio Carvalho de Souza, trabalha com a criação de abelhas há 15 anos e explica os cuidados que se devem ter para evitar acidentes com os enxames.

“Nunca se deve jogar pedras, nem fazer fogo ou tentar mexer na colmeia. Nesse caso, o correto é chamar o corpo de bombeiros e até acionar a Acam para que se possa fazer a retirada dos animais sem prejudicar o homem e a espécie. Em caso de ferroadas é preciso levar a vítima ao pronto-socorro o mais rápido possível, pois, se a pessoa for alérgica o veneno pode causar lesões graves e, em alguns casos, até à morte”, alertou o presidente da Acam.

Melhor mel do mundo

O cientista Hélio Vilas Boas conta que o mel das abelhas africanizadas é um dos melhores do mundo. “É um mel de excelente qualidade, possui apenas 18% de umidade e dificilmente fermenta como o mel das abelhas nativas. Em todo o mundo já foram catalogadas 14 espécies de abelhas africanas. Essas pequenas operárias podem produzir de 25 a 30 quilos de mel por ano”, informou Hélio Vilas Boas.

Ataque rápido

As abelhas africanas atacam em número maior e em apenas 30 segundos são capazes de injetar oito vezes mais toxinas em suas vítimas.

Bárbara Costa
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir