Política

À CPI da Rouanet, Ana de Hollanda defende rigor do MinC e blog de Bethânia

Ana de Hollanda defendeu Maria Bethânia e seu projeto ‘O Mundo Precisa de Poesia’ - foto: Foto: Elza Fiúza/|Agência Brasil

Ana de Hollanda defendeu Maria Bethânia e seu projeto ‘O Mundo Precisa de Poesia’ – foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Ministra da Cultura de janeiro de 2011 a setembro de 2012, Ana de Hollanda prestou esclarecimentos à CPI da Lei Rouanet na Câmara, em sessão na terça-feira (18).

Entre explicações sobre o funcionamento do mecenato, ela defendeu Maria Bethânia e seu projeto ‘O Mundo Precisa de Poesia’.

Em 2011, Bethânia conseguiu aprovação para captar, via Lei Rouanet, R$ 1,3 milhão para um blog com 365 vídeos em que declamaria poemas. Depois de diversas críticas, Bethânia cancelou o projeto.

Para Hollanda, as queixas foram “um ataque absurdo”. “Qual país não se orgulharia de ter uma Bethânia?”, questionou. “Foi uma injustiça.”

Ela também disse que desvios na Lei Rouanet -como aqueles investigados na Operação Boca Livre, ação da Polícia Federal que apura fraudes em projetos- são “um percentual ínfimo em relação ao que é bem executado”.

A ex-ministra afirmou que o próprio MinC foi responsável por descobrir os desvios hoje apurados pela PF. Segundo Hollanda, a Secretaria de Financiamento e Incentivo à Cultura (Sefic), em 2011, percebeu que produtores apresentavam fotos iguais para comprovar ações culturais distintas.

O ministério, porém, “não tem a função de punir”, e o caso foi para a Controladoria Geral da União (CGU) no começo da gestão seguinte, de Marta Suplicy.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir