Sem categoria

Sindicato dos rodoviários acusa Sinetram de tentar forçar reajuste

O presidente do Sindicato dos Rodoviário, Givancir Oliveira, disse que ca-tegoria desistiu da greve para não favorecer os empresários – foto: Marcio Melo

O presidente do Sindicato dos Rodoviário, Givancir Oliveira, disse que ca-tegoria desistiu da greve para não favorecer os empresários – foto: Marcio Melo

Atrasar o pagamento de salários para forçar uma greve no sistema rodoviário pode ser uma estratégia do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) para pressionar por um reajuste no valor da passagem de ônibus. A acusação foi feita pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Amazonas, Givancir Oliveira, na manhã de ontem. O Sinetram considerou a declaração descabida.

O sindicato havia programado greve para essa segunda-feira (7), mas suspendeu devido à liminar do 11° Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que impôs multa de R$ 50 mil por dia de paralisação. “A direção do sindicato fez uma reavaliação do movimento e nós entendemos que havia interesses escusos por trás dos atrasos de pagamentos e excessos de demissões. Chegamos à conclusão de que o Sinetram está querendo fazer um novo aumento de passagem e está querendo usar o nosso movimento para essa situação. Se paralisássemos neste momento, estaríamos contribuindo com esse jogo”, declarou o sindicalista.

Para Givanci, os atrasos de pagamentos e demissões sem justa causa seriam uma estratégia para forçar um movimento paredista por parte dos rodoviários.

“Se o Sinetram quer aumento de passagem, deve discutir com o prefeito Arthur Neto e nos deixar fora do disso”, declarou, ao informar que aguardaria o pagamento do salário de fevereiro até ontem. “Caso não seja feito, vamos nos reunir com o prefeito Artur Neto, pois não sabemos como vai ser esse aumento da passagem”, afirmou. “Temos um acordo firmado de que se o quinto dia último do mês cai em um sábado, o pagamento deve ser antecipado para sexta-feira. Agora, não dá para em todos os meses de pagamentos a categoria sofrer com atrasos”.

O Sinetram informou que as acusações de Givancir são infundadas e que os pagamentos dos funcionários estão em dias e foram realizados no fim da tarde de ontem. Em relação ao aumento da tarifa, o Sinetram informou que todos os custos do transporte coletivo são repassados à prefeitura, em uma planilha, e a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) calcula qual será o índice de reajuste.

Por Stênio Urbano

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir